Os alemães, incluindo a chefe de estado Angela Merkel, podem ter sido espiados pela Agência Nacional de Segurança norte-americana (NSA na sigla em inglês). Mas os serviços de inteligência alemães também podem ter colaborado com os programas de espionagem, de acordo com relatos da imprensa internacional.

O escândalo estalou no fim de semana, mas entidade alemã equivalente à Procuradoria-Geral já reagiu confirmando ter iniciado uma investigação para apurar se as acusações têm fundamento, adianta a Reuters.

O Bundesnachrichtendienst (BND) é o serviço de inteligência alemão para os assuntos estrangeiros e terá sido esta entidade que terá colaborado com a NSA nos programas de espionagem.

A colaboração do BND terá durado cerca de dez anos e na lista de alvos a serem analisados estariam cerca de 12 mil alemães, incluindo políticos de alto perfil. Em 2013 a organização mandou, alegadamente, apagar os dados relativos às atividades de vigilância que vinha realizando.

Além da própria população, a colaboração do BND também terá facilitado a espionagem a elementos da União Europeia e de pessoas dos países Estados-Membros, sobretudo França.

Recorda-se que a líder alemã Angela Merkel tinha sido alegadamente um dos alvos de espionagem da NSA e na altura a política disse que “espiar entre os amigos não é de todo aceitável”.

Os partidos da oposição alemã já estão a pressionar o governo para que responder e esclareça todas as dúvidas sobre a possível colaboração da BND com a NSA.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.