O caso Cambridge Analytica está novamente na ordem do dia no Reino Unido, cerca de dois anos depois do escândalo que envolveu o Facebook em questões de falhas na proteção de dados dos seus utilizadores. Desta vez um grupo de cerca de um milhão de utilizadores do Reino Unido poderá voltar a colocar a empresa de Mark Zuckerberg em tribunal, avança a Bloomberg.

O grupo, denominado por “Facebook You Owe Us” enviou uma carta ao Facebook, iniciando um novo processo legal no tribunal. O grupo exige que a gigante tecnológica proceda a uma compensação monetária pelo uso indevido dos seus dados pessoais.

O Facebook já havia chegado a um acordo com as autoridades britânicas no ano passado para o pagamento de 500.000 libras de multa. Em causa estava a violação da legislação ao possibilitar o acesso às informações dos utilizadores sem qualquer “consentimento” dos mesmos, referiu o departamento que supervisiona o cumprimento das regras (ICO). A entidade afirma que quando se detetou a utilização dos dados pessoais, a rede social não terá feito o suficiente para avisar os utilizadores a protegerem-se e a tomarem as devidas medidas.

Na carta, é referido que “por falhar na proteção da nossa informação pessoal da utilização abusiva, acreditamos que o Facebook infringiu as leis”. O grupo não se conforma com o pagamento de menos de 0,01% das suas receitas anuais, “trocos para o Facebook”, referindo que não é um castigo que se encaixe no crime que cometeu.

Por outro lado, o Facebook afirmou que não recebeu qualquer documento oficial sobre um novo processo judicial no Reino Unido. Na declaração da empresa, citado pela publicação, é reforçado que a autoridade da informação que investigou este caso, que incluiu a análise dos servidores do Cambridge Analytica, não encontrou qualquer indício da transferência de dados pessoais de utilizadores do Reino Unido ou da União Europeia para a empresa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.