Em outubro de 2018, o Facebook foi multado pelas autoridades britânicas relativamente ao escândalo Cambridge Analytica por um valor de 500.000 libras (560 mil euros). Em causa estava a violação da legislação ao possibilitar o acesso às informações dos utilizadores sem qualquer “consentimento” dos mesmos, referiu o departamento que supervisiona o cumprimento das regras (ICO). A entidade afirma que quando se detetou a utilização dos dados pessoais, a rede social não terá feito o suficiente para avisar os utilizadores a protegerem-se e a tomarem as devidas medidas.

Inicialmente, a empresa de Mark Zuckerberg havia apelado contra a multa, prontificando-se a fazer mudanças na aplicação para restringir os dados que os programadores de apps poderiam aceder. Mas a empresa decidiu desistir do apelo e pagar o valor estabelecido.

E neste contexto, segundo a BBC, a ICO referiu que não foram encontradas provas de que os dados dos utilizadores do Facebook na União Europeia tenham sido transferidos para o Cambridge Analytica. Mas por outro lado, um questionário realizado pela empresa GSR recolheu dados de 87 milhões de pessoas, e parte deles foram partilhados com a Cambridge Analytica.

De ter em conta que as violações ocorreram em 2015, antes da entrada em vigor do RGPD, por isso, o valor máximo da multa são os 500.000 libras que a rede social aceitou agora pagar. Caso a partilha de dados acontecesse depois de maio de 2018, a multa seria bem superior correspondente a 4% da receita anual da rede social.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.