Navegar no Chrome e ter de lidar ao mesmo tempo com anúncios que parecem ser infinitos não é propriamente algo que "derreta" os internautas. A pensar nisto, e ciente do impacto que têm na bateria e utilização de dados nos equipamentos, a Google vai limitar os recursos que um anúncio pode utilizar antes que o utilizador tenha a possibilidade de interagir com o conteúdo publicitário. Esta "intervenção" deverá ser lançada até ao final de agosto.

O anúncio foi feito no Chromium Blog, pelo product manager do Chrome, Marshall Vale. O representante garante que a empresa descobriu recentemente que "uma fração de uma percentagem de anúncios consome uma parcela desproporcional de recursos do equipamento" sem que o utilizador saiba.

Google confirma que Chrome vai mesmo bloquear anúncios
Google confirma que Chrome vai mesmo bloquear anúncios
Ver artigo

Mas porque razão isto acontece? Como explica a empresa, anúncios como aqueles que exploram o tema das criptomoedas são mal programados ou não são otimizados para a utilização em rede. Por isso, podem esgotar a duração da bateria, saturar redes já sobrecarregadas e ter custos.

Para resolver estes problemas, e proporcionar uma melhor experiência no Google Chrome, a empresa explica que passarão a haver limitações. "Quando um anúncio atinge o limite, o seu frame vai ser direcionado para uma página de erro". Desta forma, o utilizador é informado que o conteúdo recorreu a muitos recursos.

A Google mostra nesta imagem um exemplo do que vai passar a surgir nestes casos.

Como os anúncios que

Anúncios muito “prejudiciais” para os equipamentos são poucos mas “bons”

Para determinar esses limites, a Google mediu os parâmetros dos anúncios na plataforma e identificou os mais "prejudiciais" para os equipamentos. Existem conteúdos publicitários que utilizam mais de metade da largura de banda da CPU ou da rede do que 99,9% do todos os anúncios detetados para esse recurso.

A empresa está agora a estabelecer como limites 4 MB de dados de redes ou 15 segundos de utilização da CPU em qualquer período de 30 segundos ou 60 segundos da utilização total da CPU. A empresa esclarece que apesar de apenas 0,3% dos anúncios excederem esse limite, representam 27% dos dados de rede utilizados por anúncios e 28% da utilização do anúncio da CPU.

Anúncios

No post, o product manager do Chrome garante que, ao dar três meses de "experiência", a empresa pretende dar aos developers o "tempo adequado". De forma a entender o impacto desta "intervenção" os profissionais podem aceder a relatórios para terem conhecimento dos anúncios que o Chrome transferiu.

Os esforços nesta área da publicidade têm sido notórios por parte da gigante tecnológica. Em 2017, por exemplo, anunciou que a partir do início de 2018, os únicos anúncios que seriam aceites no Chrome seriam os que integram um conjunto definido pela Coaliation for Better Ads.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.