Para lá da sua vertente como “montra” de projetos inovadores, o Web Summit foi também um espaço dedicado à discussão de soluções tecnológicas para os problemas da humanidade. Com o início da quarta revolução industrial, o combate ao “digital divide”, em especial nos países em desenvolvimento, assumiu uma importância fulcral, sendo um dos passos essenciais na rota para o desenvolvimento sustentável.

Na base da exclusão digital não se encontram somente problemas tecnológicos. Tal como elucidou Sebastien Codeville, CEO da KaiOS Technologies, dos quatro mil milhões de pessoas no mundo que não têm acesso à internet “somente uma porção de cerca de 750 milhões” é que ainda não está conectada por viver em regiões que não são abrangidas por redes digitais.

Para poder solucionar o problema é necessário ter em conta fatores de cariz económico, cultural e social, à semelhança da falta de literacia digital, indicou o responsável no palco Future Societies, numa sessão que reuniu também Jonathan McKay, da Girl Effect, e Maya Horgan Famodu, Partner na Ingressive.

Vamos a uma viagem no tempo pelo Web Summit?
Vamos a uma viagem no tempo pelo Web Summit?
Ver artigo

Embora o custo dos dados móveis em África seja dos mais altos a nível mundial, o acesso à Internet está a crescer no continente e atualmente “existem mais utilizadores conectados nesta região do mundo, do que na totalidade dos Estados Unidos e do Reino Unido”, indica Maya Horgan Famodu. De acordo com a investidora nigeriana, o empreendedorismo pode representar um papel de peso no colmatar do “digital divide”, pois neste universo cada vez mais ligado à web, as startups podem ajudar a consciencializar o público de que a solução para problemas estruturais, como os financeiros ou na área da mobilidade, pode passar pela Internet.

Promover a igualdade de género e a educação

Para Jonathan McKay a inclusão digital terá de implicar uma maior equidade entre géneros. O Head of Product da organização sem fins lucrativos indica que o facilitar do acesso das mulheres e raparigas a ferramentas online é uma forma de dar-lhes poder. A Girl Effect tem vindo a desenvolver, em parceira com empresas tecnológicas, aplicações que permitem a jovens aceder a “informações essenciais que potenciem a sua educação”.

A educação é também para Sebastien Codeville um dos pontos essenciais no processo de inclusão digital. Mesmo que se implementem medidas que promovam o acesso à Internet, há uma tendência para que as pessoas se sentirem “assoberbadas”, em especial se não têm muita experiência, indica o CEO da KaiOS Technologies com esse acesso. Assim, a empresa está a desenvolver aplicações e serviços na web que ajudam o público não só a dar os primeiros passos no mundo online de uma forma mais informada, mas também a aumentar as suas competências de literacia digital.

Impacto na saúde e sustentabilidade

As consequências da exclusão digital podem afetar domínios como o da saúde, sendo que a falta de meios tecnologicamente avançados em países desenvolvidos pode pôr em causa a vida de milhares de pessoas. Empresas à semelhança da Philips e da Bayer querem colmatar este este problema e apresentaram algumas das soluções que estão a desenvolver no palco Corporate Innovation Summit.

Seja Alpha ou Beta uma coisa é certa: o espírito de empreendedorismo está ao rubro no Web Summit
Seja Alpha ou Beta uma coisa é certa: o espírito de empreendedorismo está ao rubro no Web Summit
Ver artigo

De acordo com Saskia Steinacker, Global Head Digital Transformation da Bayer, “alimentar o mundo” de forma sustentável é um dos focos da empresa. Para garantir não só o acesso global a uma nutrição adequada, mas também a meios de produção agrícola mais eficazes, estão a ser postos em prática projetos de agricultura digital em países como o Brasil, tendo em vista o continente asiático e africano.

A Philips tem vindo a apostar cada vez mais na área da saúde: desde a produção de dispositivos médicos para o consumidor, como máscaras para quem sofre de apneia do sono, a de equipamentos direcionados para hospitais e profissionais de saúde.

Tal como indicou o seu Chief Innovation & Strategy Officer, Jeroen Tas, a empresa quer colocar a inovação tecnológica ao serviço da humanidade e democratizar o seu acesso. Recentemente, a Philips implementou, em parceria com a PURE, um projeto que tem como objetivo ajudar os profissionais de saúde no Ruanda a desenvolver as suas competências na área de terapias guiadas por imagem, à semelhança das ecografias.

O Web Summit visto pela equipa do SAPO TEK

O SAPO TEK acompanhou o Web Summit destacando os temas e as tendências mais relevantes.

Veja ainda a galeria de imagens que fomos recolhendo no nosso Diário do Web Summit.

Encontramo-nos no próximo ano?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.