A conectividade privada no digital edge deverá crescer 51% ao ano, atingindo uma capacidade total de largura de banda acima dos 13.300 Tbps, equivalente a 53 zettabytes de dados por ano. A conclusão é de um estudo publicado anualmente pela empresa de data center Equinix, o Global Interconnection Index (GXI).

Para se ter uma noção mais concreta, este valor representa uma largura de banda suficiente para que toda a população mundial descarregasse em simultâneo uma temporada completa da famosa série Game of Thrones em resolução ultra HD em menos de um dia. Outra conclusão da investigação é a crescente importância da largura de banda de interconexão, uma "componente essencial dos negócios digitais", como explica a empresa em comunicado.

Por outro lado, a Equinix refere que para as empresas competirem com sucesso na economia digital devem ser capazes de lidar com volumes e velocidades crescentes de dados, através de um número cada vez maior de Clouds e ecossistemas de negócios. Segundo o GXI para que as empresas consigam gerir os crescentes volumes de dados o consumo de largura de banda de interconexão deverá crescer a uma taxa de 64% ao ano, superando outras soluções de intercâmbio de dados empresariais.

Empresas estão a expandir-se em média para nove localizações, atingindo um total de 340 interconexões com Clouds e parceiros de negócio.

Aumento da distância é o maior obstáculo ao desempenho nos negócios digitais

A implementação de conexões diretas e privadas no digital edge impulsiona o desempenho das aplicações e melhora a experiência do utilizador. De acordo com o GXI as cargas de trabalho sensíveis à latência exigem hoje tempos de resposta que variam entre menos de 60 e 20 milissegundos, forçando a infraestrutura de tecnologias de informação (TI) a aproximar-se dos locais onde está o consumo. Para aumentar a velocidade de interligação mais de um terço dos decisores globais no setor das TI estão a usar a interconexão.

Quais as estratégias das empresas para obterem vantagens competitivas?

Data center Equinix em Lisboa atingiu novo recorde de interconexões
Data center Equinix em Lisboa atingiu novo recorde de interconexões
Ver artigo

O GXI prevê que o modelo de interconexão com múltiplos provedores de rede em diversos locais quadruple até 2022, sendo já atualmente o "caso de uso mais significativo em termos de largura de banda de interconexão". O próximo passo será a interconexão com várias clouds e serviços de TI em diferentes localizações e regiões, prevendo-se um aumento considerável de 13 vezes até 2022.

Quanto à interconexão com parceiros de negócio digitais nas áreas dos serviços financeiros, conteúdos digitais e cadeia de fornecedor que completa o cenário nos casos de uso de largura de banda de interconexão o crescimento previsto é mais reduzido, desta vez de cinco vezes.

América Latina deverá aumentar mais a adoção da banda larga por ano

Na América Latina, o estudo prevê um crescimento de 63% ao ano da adoção da banda larga, o que significa uma contribuição de 11% no que diz respeito à interconexão global. A causa? A previsão de um "forte incremento no setor dos conteúdos e media digital, superando o crescimento homólogo das outras regiões", de acordo com a Equinix.

Segue-se a Ásia e o Pacífico, com um crescimento estimado de 56%, contribuindo com mais de 29% da largura de banda de interconexão global e a Europa. Nesta região o estudo prevê um aumento de 51%, o que se traduz numa contribuição de 22%. A América do Norte é quem deverá crescer menos destas regiões, 46%, mas ainda assim continua a ser quem mais contribui, neste caso com 38%.

A nível global, o estudo prevê que a largura de banda de interconexão global ultrapasse os 13.300 Tbps até 2022, o que representará um crescimento de 51% e um aumento de 7% em relação à projeção do ano anterior.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.