Está a ser preparada uma nova edição dos conceituados dicionários Oxford que poderá ter apenas uma versão online. A editora considera a hipótese tendo em conta a queda continuada das vendas da edição em papel e o crescente número de utilizadores que prefere a edição online.



"O mercado de dicionários impressos está simplesmente a desaparecer. As vendas caem em percentagens na casa das dezenas todos os anos", assumiu em declarações ao The Sunday Times Nigel Portwood, presidente executivo da Oxford University Press.



A confirmar-se a decisão, o movimento representaria uma mudança radical face à estratégia de comercialização do produto ao longo dos últimos 126 anos, idade que já soma a publicação. Contudo, a decisão não está tomada.



Numa declaração posterior ao The Washington Post a editora explica que embora a procura de dicionários online seja de facto crescente, manterá uma edição em papel se existir procura que o justifique, na altura da publicação da nova edição.



Actualmente a edição online dos dicionários Oxford - lançada em 2000 - conta com cerca de 2 milhões de utilizadores mensais, que para garantir acesso ao serviço pagam uma licença anual de 295 dólares.



As edições impressas - de que a editora vende anualmente cerca de 30 mil cópias - têm hoje como principal público escolas do ensino normal e escolas para falantes não nativos da língua inglesa, explica a mesma fonte.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.