A polícia federal brasileira deteve o diretor geral da Google Brasil, Fábio José Silva, por incumprimento de uma ordem de eliminação de vídeos no YouTube. A polémica envolve alguns vídeos que alegadamente difamavam um candidato às eleições municipais no Brasil, e que a Google se terá recusado a apagar.

A ordem veio diretamente do Tribunal Regional Eleitoral, que considerou que os vídeos continham calúnias, injúrias e difamações contra o candidato Alcides Bernal, que concorre nas eleições municipais de outubro em Campo Grande, a capital do estado de Mato Grosso do Sul.

O diretor-geral da Google Brasil pode enfrentar uma pena de até um ano de prisão, por desobediência a uma ordem judicial. Mas, apesar do aparato, depois da detenção Fábio José Silva será ouvido e libertado, já que não existe perigo de fuga, mas com o compromisso de comparecer perante a justiça quando for solicitado.

Para além da ordem de prisão o juiz federal emitiu também uma ordem de restrição para que a empresa de telecomunicações Embratel corte o acesso ao YouTube durante 24 horas no Estado brasileiro.

A empresa já informou que vai recorrer da decisão judicial e considera que não é responsável pelos vídeos que são colocados no YouTube pelos próprios utilizadores, uma argumentação já utilizada em casos anteriores.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.