Analisar a evolução portuguesa em matéria de Sociedade de Informação, comparando números de acesso ao PC e à Internet, é só por si uma tarefa difícil que esbarra na falta de dados comparáveis conclui Filipe Montargil, um dos convidados da APDSI para debater os 10 anos da Sociedade da Informação em Portugal, num dos eventos paralelos que decorreu ontem na SITIC.




O professor acabou ainda assim por concluir que o crescimento registado em Portugal nestes indicadores não tem sido suficiente para reduzir o gap face às médias europeias. No plano interno as diferenças entre sexos têm-se esbatido, com o número de homens e mulheres que acedem à Internet a ser cada vez mais idêntico, mas em todos os outros indicadores (como sejam a idade, grupo social, localização, etc) as discrepâncias têm-se também acentuado.




A ausência de empenho político consistente, a taxa de iliteracia e o baixo desenvolvimento económico foram factores mais tarde elencados no debate por Dias Coelho, presidente da APDSI, que também analisou o desenvolvimento do acesso aos veículos da Sociedade da Informação.




Olhando para os esforços públicos de digitalização dos serviços reflecte-se a mesma divergência crescente face aos níveis e evolução registados na UE, quer em termos do número de serviços online, quer também ao nível da sua sofisticação, embora aqui seja notada por Filipe Montargil uma evolução positiva nos dados já referentes a este ano. Numa análise comparativa entre os vários serviços o responsável conclui que têm sofrido maiores progressos os serviços que permitem ao Estado angariar receita.




A propriedade intelectual foi outra das preocupações trazidas ao debate pelo jurista Manuel Lopes Rocha que criticou a ausência de legislação adequada para a protecção da propriedade intelectual considerando que as revisões que têm vindo a ser feitas em Portugal nesta matéria beneficiam mais a contrafacção, do que protegem a inovação. O responsável considerou urgente legislação mais forte neste campo como condição essencial para atrair investimento estrangeiro para Portugal.

Notícias Relacionadas:

2006-10-13 - Portugal cai no ranking da OCDE e torna-se 21º na penetração da banda larga

2006-08-29 - Banda larga angaria 58 mil novos utilizadores entre Abril e Junho

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.