Um estudante de programação informática foi condenado a oito meses de prisão depois de ter entrado ilegalmente nos sistemas do Facebook, tendo sido acusado de furto de propriedade intelectual.

O jovem inglês de 26 anos alegou em tribunal que o seu objetivo era identificar vulnerabilidades no sistema e elaborar um relatório, que enviaria depois ao Facebook, reportando as falhas no sistema, relata o The Guardian.

Glenn Mangham recorreu à conta de um funcionário da empresa para entrar no sistema e "vasculhar" os segredos da rede social, naquilo que o advogado de defesa disse tratar-se de uma decisão motivada apenas pelo "desafio".

O juiz reconheceu, efetivamente, que o jovem não procurou retirar qualquer benefício económico da ação, nem agiu com o objetivo de passar a informação a outrem, mas mesmo assim condenou-a, realçando a gravidade que representa a invasão dos sistemas centrais de uma organização internacional de grandes dimensões.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Joana M. Fernandes

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.