Construir uma boa defesa contra os ataques informáticos é algo dispendioso e que não está ao alcance de todas as empresas, não só pelos custos como pela incapacidade de detetar todas as modalidades de perigo a que estão sujeitas. Com isso em mente, o Facebook lançou a ThreatExchange, uma ferramenta de trabalho para as empresas que permite a partilha de informações e dados relativos aos ataques de piratas informáticos.

Mais do que uma ferramenta de trabalho, a ThreatExchange pode ser considerada como uma "rede social" onde as empresas deixam de lado o espírito competitivo e unem-se com o mesmo objetivo: partilhar informações relacionadas com o tipo e origem dos ataques de que foram alvo, para que outras empresas se possam proteger de ataques semelhantes.

"Há pouco mais de um ano, um grupo de empresas tecnológicas juntou-se para discutir uma série de redes de malware que estavam a espalhar-se nos nossos serviços. Aprendemos rapidamente que partilhar uns com os outros foi a chave para derrotar essas botnets", disse Mark Hammell, engenheiro de ameaças do Facebook.

A ThreatExchange contou com a ajuda do Pinterest, Yahoo (Tumblr) e Twitter no seu desenvolvimento, e mais recentemente, a Bitly e a Dropbox também se juntaram à causa. Dentro da plataforma será possível partilhar ficheiros que carregam vírus, URLs maliciosos ou outros software maliciosos que causam falhas nos sistemas das empresas.

Essa partilha poderá ser feita com todos os membros do serviço ou apenas com alguns, tendo em conta a origem do ataque e o tipo de empresas que ele poderá vir a afetar. "Esta é a parte mais bonita do trabalho em conjunto em prol da segurança: quando uma empresa fica mais forte, todas elas ficam", concluiu Mark Hammell.

Já é possível visitar e fazer o registo no serviço.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.