O Governo britânico está preocupado com o crescimento de actividades de cyber bullying, que transferem para a Internet a agressão física e psicológica a estudantes e professores das escolas do país. Entre outras medidas que devem ser anunciadas hoje o secretário da educação está a convidar os fornecedores de acesso à Internet a exercerem a sua responsabilidade social e moral, bloqueando a acesso a conteúdos de vídeo colocados online.

A notícia é adiantada pela Agência France Presse que refere um discurso que será proferido por Alan Johnson, secretário da educação, em Belfast, onde será abordada a questão dos ISPs em conjunto com outras medidas para dar mais poder aos professores de disciplinar os alunos e confiscar os telefones móveis durante as aulas.

O cyber bulling é uma das questões que tem vindo a causar mais polémica na área educativa em Inglaterra com o crescimento de fotografias e vídeos de situações embaraçosas a serem rapidamente colocados online, humilhando alunos e professores. O sindicato britânico dos professores já tinha pressionado o Governo para proteger os educadores que vêem filmes caricatos publicados na Internet.

De acordo com extractos do discurso, a que a AFP teve acesso, o secretário da educação britânico lembra que os ISPs são grandes empresas que têm a responsabilidade de agir nestas situações, tal como fizeram em relação aos conteúdos pornográficos. "Sem a aprovação online, que apela às inseguranças inatas dos actos intimidatórios, estas actividades sinistras seriam menos atractivas", diz o secretário de Estado.

Notícias Relacionadas:

2007-03-16 - Uso de telemóvel na escola pode conduzir a expulsão dos exames finais na Itália

2007-03-05 - Intel prepara laptop especial para escolas inglesas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.