Depois das teorias da conspiração sobre o 5G e a COVID-19, agora é a vez de Bill Gates ser o alvo favorativo na Internet e na televisão, sendo acusado de ter criado o vírus em benefício próprio. A conclusão é do New York Times e do Zignal Labs, que garantem que os rumores que relacionam a pandemia com o cofundador da Microsoft foram mencionados 1,2 milhões vezes entre fevereiro e abril deste ano. Este valor é 33% mais elevado do que a segunda teoria de conspiração mais popular, que garantia que a quinta geração móvel poderia transmitir o novo Coronavírus.

Quanto a números, o jornal tem como base a informação da empresa que analisa dados da comunicação social e das redes sociais, Zignal Labs. Este ano foram mais de 16.000 as publicações no Facebook a acusarem Bill Gates de ter criado o vírus e no YouTube os valores são mais elevados. Os dez vídeos mais populares com mentiras sobre o empresário publicados entre março e abril foram visualizados quase cinco milhões de vezes.

Foi em 2015 que Bill Gates avisou numa TED Talk que o próximo grande risco para a humanidade não seria uma guerra, mas um vírus que poderia ameaçar a vida de milhões de pessoas. Nas últimas semanas esse vídeo tornou-se muito popular, tendo novas 25 milhões de visualizações no YouTube, mas pelas piores razões. Membros do grupo de extrema direita QAnon e apoiantes da direita têm visto neste conteúdo uma prova do que um dos homens mais ricos do mundo planeava usar uma pandemia para controlar o sistema de saúde em todo o mundo.

O 5G causa a COVID-19? Teorias da conspiração levam YouTube a “apertar o cerco” à informação falsa
O 5G causa a COVID-19? Teorias da conspiração levam YouTube a “apertar o cerco” à informação falsa
Ver artigo

O cofundador da Microsoft, que recentemente renunciou ao cargo do Conselho de Administração para se dedicar mais tempo à filantropia, tornou-se agora a "estrela" de uma explosão de teorias de conspiração sobre a nova pandemia. Os rumores surgem no YouTube, Facebook e Twitter, onde Bill Gates é retratado como sendo o "criador" da COVID-19, como parte de um plano para diminuir e controlar a população mundial, ao mesmo tempo que iria lucrar com uma vacina.

As acusações ganharam ainda mais peso numa altura em que Bill Gates se tem mostrado insatisfeito com algumas medidas tomadas nos Estados Unidos em resposta ao novo Coronavírus. O cofundador da Microsoft tem pedido políticas de confinamento social, de expansão de testes e de desenvolvimento de vacinas. E, sem citar Trump, criticou as políticas do Presidente, incluindo a decisão, na semana passada, de cortar os fundos para a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Algo que também pode não ajudar Bill Gates nesta associação com o novo Coronavírus está relacionado com o facto de o cofundador da Microsoft estar a guardar comida em sua casa desde há “alguns anos”, em antecipação a uma pandemia. Numa entrevista à BBC Radio, a mulher de Bill Gates, Melinda, garantiu isso mesmo, mostrando-se bastante agradecida por, ao contrário de outras famílias, não ter dificuldades em ter comida na mesa.

5G também foi um dos alvos das teorias da conspiração

No início de abril surgiram várias teorias da conspiração na Internet que garantiam que o 5G é um dos fatores que causou o aparecimento da pandemia de COVID-19. Os rumores infundados levaram mesmo a que várias torres tenham sido incendiadas em diversas localidades no Reino Unido, nomeadamente na semana da Páscoa.

Mais recentemente, depois da OMS ter esclarecido no início de abril que o vírus não se transmite através da quinta geração de rede móvel, foi a vez da União Internacional de Telecomunicações (UIT) reforçar o aviso. A agência elogiou particularmente o “papel das tecnologias de informação e das redes sociais em grande escala", que, considera, têm ajudado a lidar e a responder à doença. No entanto, assume que também podem espalhar o medo e a desinformação entre a população mundial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.