Uma VPN costuma ser uma força para o "bem" ao manter os dados dos utilizadores seguros, mas às vezes é utilizada com as piores intenções. A polícia alemã de Reutlingen, a Europol e outras agências mundiais trabalharam em conjunto para encerrar o serviço Safe-Inet, também conhecido como Insorg, uma VPN útil para os hackers que esteve disponível durante mais de uma década.

Para além de ser anunciado em fóruns de conteúdos "duvidáveis", o sistema era usado com frequência para práticas criminosas como clonagem de cartões, ransomware e roubo de contas. Mas, de acordo com a Europol, o serviço foi encerrado, com as infraestruturas a serem apreendidas na Alemanha, Holanda, Suíça, França e Estados Unidos.

Desde o dia 21 de dezembro, quem pesquisar o site na Internet surge apenas esta imagem, dando conta do sucesso da missão conjunta.

 Criminosos deixam de poder usar a sua VPN favorita. Safe-Inet foi “apagado” da Internet
Imagem que surge no site do serviço Safe-Inet

No âmbito desta operação, as autoridades policiais conseguiram identificar cerca de 250 empresas em todo o mundo que estavam a ser alvo de espionagem pelos hackers que usavam esta VPN. As empresas foram depois alertadas sobre um ataque iminente de ransomware contra os seus sistemas.

Em comunicado, a Europol garante ainda que as investigações estão em curso em vários países, na possibilidade de identificar alguns dos utilizadores do Safe-Ine e tomar as respetivas medidas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.