A SpaceX prepara-se para avançar com o programa de testes beta públicos mais alargados do serviço de Internet da Starlink e já começou a contactar os participantes que se tinham inscrito anteriormente.

De acordo com emails enviados pela empresa liderada por Elon Musk a que a CNBC teve acesso, o teste beta, que toma o nome “Better Than Nothing Beta”, conta com um preço mensal de 99 dólares. Os utilizadores do serviço terão também de pagar 499 dólares pelo kit Starlink que inclui um terminal e um router.

Os emails indicam que os participantes deverão esperar velocidades entre os 50 e os 150 Mbps e uma latência entre 20 a 40 ms durante os próximos meses. A empresa indica, no entanto, que há a possibilidade de existirem alguns períodos sem qualquer tipo de ligação à medida que são feitas alterações para melhorar os sistemas.

A SpaceX também fez a estreia de uma aplicação oficial para os utilizadores dos serviços de Internet da Starlink. Disponível tanto para Android como para iOS, a aplicação disponibiliza instruções sobre como instalar o terminal, dispondo também de múltiplas ferramentas, incluindo uma que permite verificar o estado da ligação e a velocidade da Internet.

São vários os participantes do teste beta público que partiram para as redes sociais ou para fóruns do Reddit para dar a conhecer a sua experiência. No Twitter, por exemplo, um utilizador revela uma das funcionalidades de realidade aumentada da aplicação oficial que permite verificar se o terminal está numa posição ideal.

SpaceX colocou 60 novos satélites Starlink em órbita. Elon Musk garante um teste público para "breve"
SpaceX colocou 60 novos satélites Starlink em órbita. Elon Musk garante um teste público para "breve"
Ver artigo

Recorde-se que, no início de outubro, após o lançamento de mais uma remessa de 60 satélites, Elon Musk tinha já afirmado que, assim que o grupo de equipamentos enviado se alinhar com o conjunto já em órbita, estarão reunidas as condições para avançar com um teste beta público mais alargado nas regiões do norte dos Estados Unidos e o sul do Canadá. O responsável salientou também que os testes vão expandir-se a outros países assim que receber a aprovação dos reguladores.

Estima-se que os últimos 60 satélites enviados cheguem ao seu destino em fevereiro de 2021, o que irá permitir avançar com os testes abertos. Desde setembro que estão decorrer testes beta fechados no estado de Washington, restritos às forças militares e técnicos de emergência.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.