A Kaspersky organizou um evento para jornalistas em Madrid onde apresentou a atualização do Kaspersky Security Cloud. A garantia da privacidade foi a questão em foco no encontro, que decorreu na manhã desta quinta-feira, onde a realidade de venda de dados no mercado negro também foi uma problemática abordada.

Coube a Dani Creus, do departamento de investigação da empresa, dar início à apresentação. Assumindo que a privacidade é cada vez mais valorizada mas também mais vulnerável, o especialista alertou para a importância dos utilizadores se protegerem, porque os dados, independentemente da sua origem, podem ser muito valiosos para os hackers.

Mas quanto valem efetivamente os dados no mercado negro? São várias as informações que podem ser vendidas na Deep Web, desde informações mais básicas como passwords, contas de email e dados bancários, mas também selfies e documentos de identificação, tais como o cartão de cidadão e passaportes.

De acordo com os dados divulgados pela Kaspersky, na Deep Web, mil passwords privadas de utilizadores de shopping ou jogos online podem valer 100 dólares, e 90 dólares no caso de contas de email. No entanto, Dani Creus recorda que estes valores podem depender de vários fatores, como a validade das passwords e que tipo de dados integram. As próprias selfies também podem ser vendidas, tendo em conta que alguns sites requerem fotografias de utilizadores. Quanto ao mercado financeiro, no caso nacional, 452 cartões bancários valem em média 9 dólares.

Mas apesar de tudo, o especialista considera que ainda há "esperança" e deixa alguns conselhos aos especialistas que considera ser do senso comum. Manter-se alerta é um dos "requisitos" para combater este tipo de ataques e ter passwords diferentes para cada conta. Para além disso, Dani Creus destaca também a importância de uma segunda forma de autenticação que pode proteger os utilizadores dos hackers.

Atualização do Kaspersky Security Cloud

Já Pablo Alonso, retail sales manager da empresa de cibersegurança, explicou que as melhorias de gama para 2020 pretendem apresentar soluções mais rápidas e seguras, assegura a empresa. A multinacional melhorou a interface e as funcionalidades-chave do Kaspersky Anti-Virus, do Kaspersky Internet Security e do Kaspersky Total Security tendo como objetivo melhorar a sua performance geral, pelo que, a título exemplificativo, as soluções de segurança vão apenas enviar alertas aos utilizadores sobre temas que lhes sejam significativos.

Pablo Alonso fala também numa VPN "inteligente e segura" e apesar do ecommerce ainda não ser uma realidade tão forte como em Espanha, outro dos focos é também o comércio online, a par da proteção para crianças. Com o Kaspersky Safe Kids os pais podem controlar o tempo de utilização de dispositivos e aplicações e rastrear as redes sociais, para além de localizar as crianças através do GPS. Pablo Alonso afirma que este tipo de software ainda não é tão utilizado pelos pais, como deveria ser.

A atualização também inclui uma funcionalidade avançada de anti-phising aplicável aos URL cujo links são encurtados com o objetivo de aumentar o número de visitas e interações com os sites.

Existem três versões disponíveis do KSC, a versão Free que para além do Windows agora também suporta dispositivos móveis, Personal e Family.

O SAPO TEK esteve presente na conferência em Madrid a convite da Kaspersky.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.