Depois de prolongar o período sem tarifas de limite de tráfego do Netfast, que fazem parte do preçário desde o início, a Telepac confimou agora que já a partir de Janeiro os clientes vão ter de pagar se ultrapassarem os limites definidos para cada classe de velocidade do seu serviço de ADSL. O valor é igual para cada 100 MB em excesso, quer se trate de tráfego nacional ou internacional.



A entrada em vigor deste limite tem sido bastante contestada pelos utilizadores, nomeadamente os que participam na lista http://groups.yahoo.com/group/adsl_utilizadores/join, gerida por um "anónimo cobarde". Estes contestam a aplicação de limites de tráfego, alegando que é uma invenção da TV Cabo e da Telepac e que não tem réplica noutras paragens onde se usa a tecnologia ADSL. Foi mesmo sugerido por alguns utilizadores a possibilidade de realizar um abaixo assinado contra a entrada em vigor do limite de tráfego, mas por enquanto não há concretização.



De acordo com o tarifário, os utilizadores que tenham optado pela velocidade de download de 1 Mbit por segundo estão limitados a 10 GBytes de tráfego, sendo este de 5 GB para quem escolheu a velocidade de 768/128 Kbps e de 2 GB para os 256 Kbps. Por cada 100 MBytes de tráfego acima deste limite é cobrado um valor de 490 escudos (2,44 euros), quer seja relativo a download ou upload.



De acordo com Maria da Fé Peres, do gabinete de comunicação da Telepac, a empresa optou por não fazer distinção entre tráfego nacional e internacional para que o processo possa ser mais transparente para o cliente. Desta forma "paga um custo único, quer esteja
ligado a um site nacional (onde frequentemente pode existir informação
alojada fora do país) ou internacional", explica.



O sistema é diferente do aplicado pela TV Cabo - empresa do mesmo grupo - no serviço NetCabo, onde existe distinção entre os tipos de tráfego nos valores cobrados. Assim, para cada 100 MB de tráfego internacional o cliente dos pacotes Speed On ou Speed Use paga 600 escudos, enquanto que no tráfego nacional o valor é de 50 escudos.



A introdução deste sistema de limite de tráfego no serviço NetCabo a 1 de Abril de 2000 trouxe bastante polémica, até porque inicialmente os utilizadores tiveram alguma dificuldade em identificar o volume de tráfego realizado, mas em Março a TV Cabo optou por reduzir os valores do tráfego adicional para destinos foram de Portugal, que antes era de 1000$00. Os clientes do Speed Pro - o serviço para empresas, têm direito a tráfego ilimitado a nível nacional, embora depois em downloads fora de Portugal as limitações sejam aplicadas.



Negando a possibilidade dos clientes serem apanhados desprevenidos por facturas avultadas em Janeiro, Maria da Fé Peres afirma que a entrada em vigor dos limites é conhecida, embora não tenha existido aviso formal. Esta responsável garante ainda que quando o tarifário entrar em vigor existirá uma página de Administração online onde pode ser consultado o tráfego relativo à conta de ADSL.




A Telepac não revelou ao TeK qual o número actual de utilizadores de serviço ADSL, que em Junho rondavam os 2 mil clientes, mas ainda na semana passada revelou ter alargado a cobertura do serviço a Braga, Coimbra, Leiria, Cacém, S. Mamede de Infesta e Marinha Grande, zona reconhecidas como centros universitários e industriais.


Fátima Caçador

Nota da Redacção: Importa aqui esclarecer que "anónimo_cobarde" (tal e qual) é o nome do moderador do grupo de discussão de ADSL e não um qualquer adjectivo atribuido a um utilizador.

Notícias Relacionadas:

2001-11-10 - Número de utilizadores NetCabo calculado em duzentos mil

2001-06-27 - Telepac ainda não altera oferta do Netfast

2001-05-25 - Netfast prolonga "borlas" até Dezembro

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.