A Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária realizou hoje sete buscas domiciliárias e não domiciliárias, dando origem a quatro detenções de suspeitos da prática do crime de branqueamento de capitais. O processo crime está a decorrer na DIAP de Santarém.

Os suspeitos têm idades compreendidas entre os 31 e 48 anos e colaboravam com uma rede internacional dedicada à prática de burlas qualificadas. Os suspeitos alegadamente recebiam proventos da atividade criminosa ao mobilizar e enviar esses fundos para outros elementos da rede, desempenhando o papel de “money mules”.

A PJ explica que os criminosos operavam através da colocação de anúncios falsos na internet para a venda de bens e serviços, convencendo as suas vítimas de que estavam perante um negócio real. O pagamento dos valores acordados no negócio eram feitos através de transferências bancárias internacionais, para contas indicadas pelos contactos.

Quando os pagamentos eram feitos, as vítimas não recebiam os produtos que tinham adquirido, perdendo-se o contacto com os burlões. Só assim percebiam que tinham sido alvo de uma burla. O crime atravessou fronteiras em diversos países da Europa, incluindo Alemanha, Dinamarca, Bélgica, Suíça, Espanha, Hungria e Áustria, com prejuízos patrimoniais superiores a 100 mil euros.

Os suspeitos detidos serão presentes amanhã a um juiz para um primeiro interrogatório e aplicação de medidas de coação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.