O Joint Strike Fighter, o programa de armamento mais caro utilizado pelo Pentágono - avaliado em 232 mil milhões de euros e responsável pelo desenvolvimento dos aviões F-35 -, foi alvo de um ataque informático.

Os intrusos aproveitaram duas vulnerabilidades na plataforma e tiveram a possibilidade de copiar e extrair dados relacionados com os sistemas electrónicos do projecto do Departamento de Defesa dos EUA, incluindo informações utilizadas em caso de defesa contra possíveis ataques.

Toda a informação é avançada pela imprensa norte-americana que, com base em fontes do Pentágono, atribuiu os ataques à China. Contudo, a embaixada do país asiático nos Estados Unidos recusou-se a prestar declarações.

Nos últimos meses foram detectados outros ataques aos sistemas norte-americanos, incluindo à plataforma de controlo aéreo da Força Aérea norte-americana, afirmou fonte do Pentágono ao Wall Street Journal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.