Um estudo divulgado ontem analisou as presenças online das mil maiores empresas nacionais e concluiu que à data, apenas uma cumpria dois dos três níveis de conformidade com as regras do W3C. Neste caso a Caixa Geral de Depósitos, que entretanto concluiu o processo e hoje já cumpre os três níveis de normas propostas pelo organismo internacional de referência.

Nenhuma das empresas no Top 1000 português cumpria, à data do estudo, os três níveis de acessibilidade e apenas 73 cumpriam um dos níveis. Outro dado apurado é que o número de empresas a cumprir a terceira prioridade do conjunto de três definidas pela W3C é maior que o número de empresas a cumprir a prioridade 1, a mais relevante das três.

Por exemplo, encaixaram no intervalo entre 0 e 1.000 erros, detectados pela análise para o nível 1 de prioridade do W3C, 657 empresas. Para o mesmo intervalo de erros encaixaram no nível três de acessibilidade 695 empresas, remetendo um número menor de organizações para o grupo que registou mais de mil erros.

Num e noutro caso o número de erros detectado é contudo elevado e para os autores do estudo, apresentado ontem à tarde em conferência de imprensa, não há uma única explicação para o facto. Um dos aspectos apontados é no entanto a falta de informação e a falta de consciência do valor económico do mercado que está a ser deixado de lado com a falta de capacidade dos sítios Internet destas empresas para acolher cidadãos com necessidades especiais.

Realizado pelo Grupo de Negócio Electrónico da Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação, o estudo concluiu ainda que em 2008 - na altura em que os dados foram apurados - 172 dos sites das 1000 maiores empresas nacionais eram inexistentes ou estavam inacessíveis em manutenção.

Dos 828 restantes, 51 tinham sido desenvolvidos com recurso a tecnologia que nem permite aplicar a ferramenta automática de testes usada no estudo, nem aplicar medidas que garantam a acessibilidade.

A amostra real do estudo acabou por se fixar em 777 sites, onde foram analisadas para cada um deles 30 páginas, através de testes automáticos suportados na ferramenta espanhola Taw 3, para verificar a versão 1.0 das normas do W3C.

O mesmo grupo está agora a realizar um estudo idêntico para as mil melhores PMEs. As primeiras conclusões indicam que o número de PMEs a que é de facto possível aplicar o teste é menor que entre a amostra definida para as grandes, mas o nível de acessibilidade entre essas é mais positivo. Uma empresa cumpre os três níveis de acessibilidade. Uma cumpre dois níveis e 145 cumprem um dos três níveis.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.