Robert Alan Soloway, um dos principais distribuidores de mensagens de correio electrónico não solicitadas, foi preso em Seattle depois de ser acusado de se fazer aproveitar de computadores zombie para enviar milhões de mensagens de spam.




Com presença no top 10 de spammers a nível mundial, Soloway foi indiciado por 35 crimes, incluindo fraude por utilização indevida de correio electrónico, roubo de identidade e lavagem de dinheiro. As acusações são também dirigidas à sua empresa, a Newport Internet Marketing.




O gabinete do procurador-geral do distrito de Washington classifica Soloway como "o rei do spam" pelo volume de junk email que o acusado e a sua empresa produziam.




De acordo com a imprensa internacional, para além do envio excessivo de mensagens electrónicas não solicitadas, a empresa de Soloway é acusada de vender software que permitia aos consumidores o envio de publicidade não solicitada por correio electrónico. O réu é também indiciado por enviar dezenas de milhares de emails utilizando endereços e links registados por utilizadores inocentes que, muitas vezes, viram o seu nome ser associado a acções de spam.




Soloway conduziu as actividades ilegais desde 2003 até ao início deste ano, refere a procuradoria-geral do Estado de Washington. Agora, a pena para o spammer ultrapassa o pagamento de uma coima de 772 mil dólares, o valor que angariou através da sua actividade ilegal, à qual acrescem ainda penalizações sobre o seu património pessoal.




Notícias Relacionadas:

2007-05-29 - Origem do spam concentrada em duas centenas de grupos
2003-11-30 - EUA são o país com mais spammers a nível mundial

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.