Depois do tiroteio que vitimou 17 pessoas numa escola norte-americana do estado da Florida, as autoridades políticas prosseguem com o debate sobre possíveis medidas de prevenção. Uma das última ideias em cima da mesa é da autoria de Robert Nardolillo, que propõe a criação de uma taxa progressiva no mercado dos videojogos.

Na prática, o representante republicano sugere que os jogos mais violentos sejam gradualmente taxados de acordo com o nível de violência que apresentam. O responsável sugere ainda que os fundos arrecadados através do imposto sejam canalizados para investimentos públicos no apoio à saúde mental e aconselhamento familiar.

Irão quer limitar acesso a Clash of Clans. Alega que incita à violência e a conflitos tribais
Irão quer limitar acesso a Clash of Clans. Alega que incita à violência e a conflitos tribais
Ver artigo

O primeiro esboço avança com a aplicação de 10% de imposto adicional nos títulos classificados com um semelhante ao europeu PEGI 18. Nesta categoria entram jogos como GTA V, Battlefield 1, Call of Duty: WWII ou Resident Evil 7.

De acordo com Nardolillo, que é citado pela IGN, "existem evidências de que as crianças expostas a videojogos violentos em tenra idade, tendem a agir de modo mais agressivo do que as restantes. Este projeto de lei daria um recurso adicional às escolas para ajudar a lidar com essa agressividade de uma forma positiva". "O nosso objetivo é fazer de cada escola [...] um lugar seguro e calmo para os alunos aprenderem. Ao disponibilizarmos aos alunos recursos para gerirem a sua agressividade hoje, garantimos um mundo mais pacífico amanhã".

Segundo contas feitas pelo portal, um jogo como GTA V, que custa cerca de 64,20 dólares, passaria a custar 70,20 dólares se este imposto fosse realmente aplicado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.