São mais de 40 milhares os sites que podem ter sido "mexidos" por crackers, com o objetivo de redirecionar os visitantes dessas páginas para outros endereços, segundo dados da Websense.

Os sites comprometidos foram modificados de modo a redireccionar os interautas para uma versão falsa do Google Analytics, após a qual passam para um outro site, que tenta explorar as vulberabilidades do browser usado.

Se não for encontrada qualquer vulnerabilidade, o site tenta iludir os utilizadores a descarregarem um Cavalo de Tróia, emitindo uma alerta de que o computador foi infectado por um vírus e pedindo a instalação de um software pare remover o programa malicioso.

O objectivo é deixar malware no PC, refere Carl Leonard da Websense, citado pelo Computerworld, que pode ser usado para obter informações pessoais do internauta ou para transformar a máquina num PC zombie, que envie spam e dissemine mais software malicioso.

A empresa ainda não determinou de que forma os crackers comprometeram os sites, mas ao que tudo indica, as páginas falsas estão alojadas na Ucrânia.

O mais preocupante, na avaliação do consultor, é que apenas quatro das 39 aplicações de programas de segurança disponíveis actualmente no mercado conseguem identificar o malware.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.