A Google reformulou o Youtube em Portugal para fazer crescer a relação entre produtores e anunciantes nacionais na plataforma online. A página inicial do serviço de vídeos é agora mais focada em conteúdos produzidos por parceiros portugueses e o Youtube mudou para criar um sistema mais completo para produtores parceiros, possíveis anunciantes, e em última instância, para os internautas.

Quem aceder à página inicial do Youtube.pt pode encontrar um novo formato de publicidade, denominado de Masthead Lite. Esta publicidade ocupa toda a posição superior da página e é um passo necessário para fortalecer o ecossistema que existe entre as partes que constituem a comunidade de vídeos.

Esta mudança vai ao encontro do modelo de monetização introduzido recentemente em Portugal, que o TeK já tinha noticiado, que torna qualquer pessoa num parceiro Google. Caso os utilizadores assim o queiram e permitam, podem passar de simples "visualizadores" a produtores.

A Google diz estar ativa na tentativa de angariar novos parceiros de conteúdos em Portugal, mas excluiu para já a possibilidade de haver um investimento financeiro em produtores portugueses à semelhança do que acontece com o programa de funding de canais nos EUA. "Os novos parceiros", disse ao TeK a responsável por parcerias do Youtube em Portugal, Maria Ferrer, "aparecem através do crescimento do próprio ecossistema e do modelo de negócios".

Segundo dados da comScore citados pelo líder de operações da Google Portugal, José António Aguilar, o Youtube é o terceiro serviço online mais utilizado em Portugal e tem cerca de 3,3 milhões de utilizadores únicos no mercado nacional - cerca de 70% do total dos internautas portugueses.

Youtube, a próxima TV

O TeK questionou os responsáveis da Google sobre a possível chegada de canais pagos à plataforma online, que disseram não ter "nada a confirmar". Mas a responsável de Relações Públicas da Google Portugal, Marisa Toro, revelou no entanto que a tecnológica está a preparar uma nova plataforma para ajudar a promover produtores e para facilitar a monetização dos conteúdos.

Durante a apresentação José António Aguilar foi deixando algumas pistas como o Youtube pode ser o substituto da televisão - um mercado por si só já fragmentado - e que tem como principal vantagem estar presente em quase todos os dispositivos. Smartphones e tablets já representam 25% de todos os vídeos consumidos pelos utilizadores, revelou o executivo.

Nota de redação: Foi corrigida uma gralha no texto


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.