Os recentes incidentes de segurança da Zoom têm vindo a preocupar muitos utilizadores, no entanto, a popularidade da plataforma de videoconferências continua a crescer exponencialmente. Desde o início de abril, o número de utilizadores diários cresceu de 200 milhões para 300 milhões, revelou Eric Yuan, CEO da empresa, durante um webinar.

Face aos sucessivos problemas de segurança da plataforma, a empresa anunciou uma nova versão do software com uma maior ênfase na privacidade. Segundo uma publicação no blog oficial, a Zoom 5.0 conta com encriptação AES 256-bit GCM para proteger os utilizadores.

A nova versão da Zoom permite também aos utilizadores ter mais controlo das definições de segurança das reuniões, podendo protegê-las com passwords e “salas de espera” virtuais. Além disso, na Zoom 5.0 é possível reportar imediatamente incidentes de Zoombombing.

PJ identificou responsável pela intrusão nas aulas online que já apagou todos os conteúdos
PJ identificou responsável pela intrusão nas aulas online que já apagou todos os conteúdos
Ver artigo

A prática de Zoombombing tem vindo a tornar-se cada vez mais frequente, chegando até a impedir o funcionamento normal das aulas à distância em Portugal e levando a Fenprof a fazer queixa à Procuradoria-Geral da República. A Polícia Judiciária conseguiu identificar o responsável pelas disrupções e apagou todos os conteúdos acerca dos incidentes que foram publicados na Internet.

Nos Estados Unidos sucedem-se acidentes semelhantes em que Internet Trolls entram em reuniões virtuais na plataforma e lançam o caos. No início de abril, o FBI dava conta de inúmeras queixas de utilizadores cujas conferências na Zoom foram interrompidas por imagens pornográficas e de ódio com linguagem ameaçadora.

Nova Iorque proíbe escolas de utilizarem o Zoom e a alternativa é o Microsoft Teams
Nova Iorque proíbe escolas de utilizarem o Zoom e a alternativa é o Microsoft Teams
Ver artigo

Os membros de grupos extremistas antissemitas têm utilizado a técnica para atacar inúmeros serviços religiosos judeus online. A estação norte-americana WABC-TV avançou que uma reunião de congregação judaica em Nova Iorque foi interrompida por um atacante que publicou suásticas e imagens ofensivas. A CBS News noticiou o caso de uma sessão de perguntas e respostas com um Rabi em que vários Zoombombers começaram a ameaçar os participantes e a fazer referências ao Holocausto.

Recorde-se que numa recente entrevista à CNN, Eric Yuan fez um “mea culpa” relativamente aos incidentes de segurança, admitindo a Zoom foi inicialmente concebida para organizações e empresas. “Devido à crise da COVID-19 avançamos demasiado depressa”, afirmou o CEO.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.