Numa fase em que o desemprego continua a ser um dos principais problemas da economia europeia, a Amazon fez saber esta terça-feira, dia 13 de janeiro, que contratou em 2014 cerca de seis mil funcionários na União Europeia, onde já totaliza 32 mil.



Centros logísticos, serviços de apoio ao cliente, chefia de compras e laboratórios de desenvolvimento de software foram alguns dos sectores que a Amazon decidiu aumentar em 2014, ano em que realizou o maior número de contratos desde 1998 na região, com a entrada destes funcionários para os 50 centros de trabalhos em solo europeu.



Xavier Garambois, vice-presidente da Amazon na UE, referiu em comunicado a necessidade de "investir e inovar", acrescentando que a empresa tem boas perspetivas para o futuro: "após este volume recorde de contratações, a empresa dispõe muitas outras posições abertas que esperamos cobrir em 2015, pois continuamos num período de grandes investimentos". Grande parte dos trabalhadores reforçaram a área das Tecnologias de Informação para desempenhar as funções na área da de engenharia de software ou engenharia os informática.



Só o mercado alemão, o segundo maior para a Amazon a seguir ao dos Estados Unidos da América, justificou a entrada de 1,2 mil novas pessoas nas suas centrais, apesar da polémica entre a empresa de comércio eletrónico e a Verdi, sindicato alemão de trabalhadores, que exige desde maio de 2013 um aumento dos salários para os seus trabalhadores, razão que até motivou algumas greves no final do ano passado.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.