A marca da maçã confirmou hoje, segunda-feira, o acordo com a Shazam e que, segundo a Recode, vale 400 milhões de dólares (cerca de 339,7 milhões de euros).

"Estamos emocionados de que a Shazam e a sua talentosa equipa se juntem à Apple", disse um porta-voz da Apple ao The Verge, acrescentando que as duas empresas partilham "uma paixão pela descoberta de música e na possibilidade de oferecer excelentes experiências musicais aos nossos utilizadores".

Também a equipa da aplicação para smartphones e computadores se revelou entusiasmada com a aquisição, apesar desta estar longe do valor com que a Shazam foi avaliada, muito por causa da receita de apenas 54 milhões de dólares, em 2016.

Apesar das baixas receitas, a Shazam pode ajudar a Apple de várias maneiras, sendo a mais óbvio através da Apple Music, com a equipa da Shazam a ajudar a melhorar a experiência do serviço e com uma integração mais profunda com o iOS, estando a música e o reconhecimento de som da Shazam já integrados com a Siri.

À Apple provavelmente interessa a tecnologia de realidade aumentada da Shazam, visto que a aplicação tem tecnologia de reconhecimento visual e uma plataforma AR para marcas que podem ajudar no desenvolvimento de um recurso de tipo Google Lens e melhorar os seus esforços ARKit.

O acordo está pendente de aprovação regulamentar, mas deve ser fechado nas próximas semanas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.