Inicialmente, a Altice tinha oferecido menos dinheiro - 7.025 milhões de euros -, com pagamentos diferidos de 800 milhões.
Com a reformulação dos valores, os franceses acabaram por deixar pelo caminho a proposta dos fundos de investimento Apax, Bain e ainda da Semapa, que avaliavam a PT Portugal em 7.075 milhões de euros e pagamentos diferidos de 800 milhões de euros.

Além do valor, entre os argumentos que podem ter convencido a Oi estão o facto de a Altice garantir que tem a oferta totalmente financiada, tendo já um acordo com Morgan Stanley, Goldman Sachs, JP Morgan, Crédit Suisse e Deutsche Bank.

Terão pesado igualmente outros aspectos, como a referência à intenção de reforçar o investimento e contratar mais pessoas ou a pretensão de continuar a construção do data center e da rede de fibra óptica da PT, manifestada por Dexter Goei, presidente executivo da Altice, em entrevista ao Económico.

A ronda de negociações com a Altice decorrerá nos próximos dias, para acertar os detalhes da oferta, sendo expectável que a venda esteja definida até ao final da semana.

O negócio ainda terá de ser aprovado em assembleia-geral de accionistas da PT, assim como pelas entidades reguladoras.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.