Com o Brexit iminente, que deixa o Reino Unido fora da União Europeia, diferentes empresas tecnológicas pretendem retirar a sua sede europeia do país, para outro ponto da Europa. A Holanda tem sido a mais apetecível, devido aos seus baixos impostos, e depois da Panasonic, que mudou para Amesterdão o seu quartel-general na Europa, é a vez da “mãe” da PlayStation fazer o mesmo, segundo avança a Nikkei.

A tecnológica japonesa vai fundir a Sony Europe com uma subsidiária criada em Amesterdão recentemente, e irá arrancar com as operações na nova sede a partir de abril, depois do Brexit previsto para o final de março.

No entanto, a Sony manterá uma representação no Reino Unido, para gerir os produtos e as vendas, referindo que não haverão recolocações de funcionários. Ao fazer a deslocação, a Sony evita os problemas com as importações e exportações, mantendo-se registada na União Europeia e com as respetivas regalias usufruídas até agora.

Anteriormente, numa apresentação de resultados do ano fiscal de 2017, a Sony havia indicado aos seus acionistas que as vendas na Europa já representavam 21,55% do total da tecnológica, no valor de 16,5 mil milhões de dólares, salientando-se como um mercado crucial para a sua estratégia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.