O ano de 2022 não tem sido o melhor para o mundo cripto, com a falta de regulação e a utilização de criptomoedas em cibercrimes e esquemas fraudulentos entre os problemas que estão a impactar seriamente a confiança. Mas será que o declínio que se tem vindo a registar é apenas uma “dor de crescimento” ou está a expor as falhas irreparáveis desta área?

No palco central do Web Summit 2022, Ben McKenzie, actor e jornalista, defende que, atualmente, o mundo cripto “está à procura de uma nova história para contar”, realçando que “muitas das histórias que tem vindo a contar não chegaram a se concretizar”. “Grande parte do ar já saiu da bolha, assim como cerca de 2 biliões [de dólares] que desapareceram há seis meses”, realça, acrescentando que o futuro desta área é, para já, uma incógnita e é “preciso esperar que o pó assente”.

Por outro lado, Charles Hoskinson, fundador da plataforma blockchain Cardano e cofundador da plataforma blockchain Ethereum, tem uma visão diferente desta indústria, defendendo que a mesma “inspirou uma geração de pessoas a reimaginar a forma como o dinheiro funciona” e a encontrar formas de lidar com os problemas deixados pelo setor financeiro.

Já Molly White, criadora do website Web3 Is Going Just Great, centra-se na questão dos esquemas fraudulento, enfatizando que “não há qualquer forma real de proteção dos consumidores e as práticas de segurança são incompreensíveis”.

Criptomoedas: confiança não desapareceu, mas foi seriamente impactada. Há forma de a recuperar?
Criptomoedas: confiança não desapareceu, mas foi seriamente impactada. Há forma de a recuperar?
Ver artigo

A criadora defende que é “irracional” dizer às pessoas para investir o seu dinheiro e confiar em projetos cripto na esperança receberem algum tipo de retorno sem terem qualquer garantia de que isso vá realmente acontecer. “Não percebo como uma indústria como esta pode aceitar a prevalência destas fraudes (…) Como é que uma indústria pode encorajar pessoas normais a investir sem qualquer tipo de proteção?, enfatiza.

Em resposta, Charles Hoskinson admite que é verdade que não há incentivo para criar software e protocolos que protejam os consumidores, mas isso não é um problema exclusivo da indústria cripto. “Quando não há alinhamento a nível de incentivos é aí onde entram os reguladores”, afirma, apontando, por exemplo, o caso da diretiva MiCA (Markets in Crypto Assets Regulation) na Europa.

A questão torna-se complicada no caso da indústria cripto porque há dinheiro envolvido e, quando confrontado por Ben McKenzie acerca das vastas perdas de dinheiro por parte de pessoas que investiram nela, Charles Hoskinson afirma que “há sempre vencedores e perdedores” e que “é preciso separar a tecnologia da visão mais ‘micro’ do dia a dia, porque há utilidade para a sociedade no trabalho que fazemos”.

Embora tenham visões bem diferentes no que respeita à indústria cripto e ao seu verdadeiro potencial, os membros do painel concordam que há problemas que precisam de ser revolvidos, se bem que a forma de resolução dos mesmos seja também tópico de discórdia neste debate "aceso" 

Como realça Molly White, “há coisas positivas e interessantes na tecnologia de Blockchain, mas temos mesmo de olhar para o panorama como um todo, o seu lado negativo, a indústria e os danos que estão a ser causados". 

O SAPO TEK está a acompanhar toda a edição do Web Summit em direto até dia 4 de novembro. Siga todas as notícias aqui, acompanhando também a transmissão em direto no palco principal.

Veja ainda algumas das principais imagens que a equipa do SAPO TEK vai recolhendo por dentro do Web Summit

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.