Elon Musk e a Securities and Exchange Commision (SEC), a comissão do mercado de valores americana, chegaram a um entendimento sobre o processo relativo à conduta do CEO da Tesla nas redes sociais. Segundo a Business Insider, o acordo anunciado na passada sexta-feira requer que toda a comunicação de Musk relativa à Tesla – quer através de “social media”, do site da empresa ou de comunicados de imprensa – seja aprovada previamente por “um advogado especializado em valores mobiliários".

A polémica começou em agosto de 2018, quando Elon Musk publicou mensagens no Twitter, algumas de foro especulativo, que fizeram o valor das ações da Tesla oscilar - como foi o caso da saída da empresa da bolsa e as intenções de privatizar a fabricante. A SEC obrigou Musk a abandonar o cargo de presidente do conselho de administração e ao pagamento de uma multa de 20 milhões de dólares.

Posteriormente, Elon Musk publicou nova mensagem no Twitter, que resultou no processo que estava agora em tribunal. Nessa publicação, Musk referiu-se à fabricação de 500.000 automóveis em 2019, corrigindo-se depois para clarificar que o número era apenas de expetativa, mas esperando pelo menos distribuir 400.000 veículos. A clarificação não terá agradado à SEC, acusando-o de ter publicado informações irrealistas e sem verificação dos seus advogados. Consequentemente, a SEC decidiu processar Elon Musk, levando-o ao tribunal de Mahattan.

No início do mês, a juíza Alison Nathan apelou às duas partes em conflito que chegassem a acordo, dizendo-lhes “respirem fundo, vistam as calças da sensatez e resolvam o problema”. O entendimento foi mesmo alcançado, tendo o fundador da Tesla acabado por aceitar não publicar mais no Twitter informações sobre a produção ou vendas de carros de luxo elétricos sem supervisão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.