O processo é da autoria da Zenimax, que acusa a empresa que criou os Oculus Rift de usar tecnologia sua, protegida através de patentes, na criação do produto. O caso não é novo e a Oculus até já admitiu o problema. Propôs um acordo com a Zenimax, que passaria pela cedência de ações mas a produtora recusou e o caso segue para tribunais.



O desfecho pode sair caro à Oculus e mais ainda ao seu novo dono, o Facebook, que investiu forte na tecnologia de realidade virtual da empresa, uma situação que poderá mesmo ter contribuído para a posição irredutível da Zenimax.



As patentes em questão pertencem à id Software, empresa do grupo Zenimax, conhecida por desenvolver jogos como Doom ou Quake. São tecnologias criadas por Carmack, uma das maiores referências a nível mundial no desenvolvimento de videojogos, que fundou o estúdio mas que acabou por trocar o projeto pela Oculus VR.



A Zenimax alega agora que a estrutura dos Oculus Rift tira partido do software desenvolvido por Carmack enquanto estava na id Software e sublinha que essa tecnologia pertence à empresa.



A companhia também garante que toda essa experiência e conhecimento geridos e adquiridos na id foram determinantes para chegar a um produto tecnologicamente avançado como os óculos de realidade virtual da nova empresa do Facebook, que pagou 2 mil milhões de dólares pelo novo ativo.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.