A IDC reviu as previsões que tinha feito para o crescimento no mercado global de PCs, antecipando agora um crescimento de 17 por cento para 2010, ao invés dos 19,8 por cento inicialmente avançados.

De acordo com os especialistas da consultora, os efeitos do desemprego e da crise no mercado norte-americano (um dos mais importantes na área), que já eram esperados mas que até à data ainda não se tinham, de facto, abatido sobre este segmento, irão fazer-se sentir durante a segunda metade do ano, prejudicando os desempenhos do mercado de consumo.

O efeito deverá ser suavizado pelo investimento dos clientes empresariais no segmento dos computadores de secretária (desktops), esperado na maioria das regiões do globo, e que ajudará a equilibrar o mercado global.

"Apesar de termos reduzido as previsões para este ano, uma análise do mercado de PC, tanto com relação à segunda metade de 2010, como num horizonte temporal maior, continua a apresentar sólidos ganhos de dois dígitos", realça Loren Loverde, vice-presidente do IDC Worldwide Trackers.

"Uma procura forte, preços agressivos e um desenvolvimento activo de novos produtos continuaram a alimentar um crescimento sólido durante os próximos anos", acrescenta.

As previsões de crescimento agora apresentadas para o mercado global de computadores (portáteis e de secretária) apontam para crescimentos de 12, 94 por cento no próximo ano e 11, 24 por cento daqui a quatro anos, a nível mundial - que se afastam dos desempenhos de 4,15 por cento em 2009, por exemplo.

A empresa revê em baixa as previsões tanto para o mercado de portáteis como para o mercado de consumo, mas sobe a fasquia no que respeita ao volume de vendas de computadores de secretária, com uma "leve ajuda" dos designados PCs "all-in-one" (tudo em um - que integram unidades de processamento e ecrã num só equipamento), mas principalmente devido ao investimento em equipamentos das empresas. Esta tendência deverá superar o crescimento verificado mercado de consumo durante grande parte do próximo ano.

Outra das tendências registadas é da saturação do mercado de netbooks, que embora continuem a ser responsáveis por uma parte importante das vendas de portáteis, deverão começar a perder expressividade, face à concorrência de notebooks mais baratos e de dispositivos como os tablets, refere a análise.

Espera-se ainda que os computadores portáteis mantenham a liderança das vendas, sendo, em 2014, responsáveis por mais de 70 por cento das encomendas, antecipa a IDC.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.