Chegar a 2020 com 60 por cento dos lares europeus a serem abastecidos por energia eólica é o objectivo traçado pela EWEA numa reunião que começou ontem em Marselha. Segundo a Associação Europeia para a Energia Eólica, essa quantidade corresponderia a uma capacidade instalada de energia eólica de 230 gigawatts, um acréscimo de 50 gigawatts face à meta anteriormente traçada.

Arthouros Zervos, presidente da associação, frisou, no entanto, que os planos apenas deverão ser cumpridos se todos os Estados membros cumprirem com os prazos e adesões previstas nas directivas europeias, que apontam Junho de 2010 como a data em que cada país membro conte com um Plano Nacional de Acção detalhado e as metodologias a seguir no campo das energias renováveis.

Estima-se que a energia gerada pelos 230 gigawatts seria suficiente para abastecer o equivalente a 135 milhões de lares de média dimensão na União Europeia, o correspondente a entre 14 a 18 por cento da procura eléctrica em 2020.

O comissário europeu para a Energia, Andris Pielbags, afirma que "a energia eólica pode substituir em grande parte os combustíveis contaminantes dos quais dependemos actualmente".

Segundo a Comissão Europeia, 3,5 por cento das reservas certificadas de carvão estão na UE embora os países da União Europeia tenham apenas 2 por cento das de gás, menos de 2 por cento das de urânio e abaixo de 1 por cento das de petróleo de todo o mundo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.