Embora seja visto como uma aposta de futuro, o investimento em fibra óptica está a penalizar a rentabilidade das operadoras portuguesas que já terão perdido 620 milhões nos lucros. As contas são do Diário Económico e referem-se aos resultados entre 2005 e 2009, periodo em que o EBITDA menos Capex da PT, Zon e Sonaecom passou de 864,1 milhões de euros para 243 milhões de euros.

A queda no indicador de rentabilidade deve-se, em grande parte, ao investimento em redes de nova geração, com a instalação de fibra óptica na PT e Sonaecom, ou a modernização do cabo na Zon que também aposta na instalação de fibra em algumas zonas.

A questão do retorno do investimento, que tem sido largamente debatida, é novamente levantada pelo jornal, com analistas a avançarem que só nas zonas urbanas e sub-urbanas este irá levar entre 4 a 8 anos.

Citando um gestor de uma empresa do sector, não identificado, o jornal adianta ainda que nas zonas urbanas o custo médio para levar fibra a cada casa é de mil euros, sendo que metade corresponde a despesas com equipamentos, instalação e custos comerciais.

Estas contas não estão muito longe dos números avançados por Zeinal Bava no Congresso da APDC em 2008, quando o presidente da PT disse que levar fibra a casa do cliente terá um preço médio de 800 euros, sendo 2/3 deste investimento realizado desde “a coluna montante até casa do cliente”.

O gestor contrariava assim as estimativas dos concorrentes que colocavam a maior fatia do investimento necessário na infra-estrutura base.

Nota da Redacção: A notícia foi actualizada introduzindo uma precisão sobre a contabilidação da rentabilidade das empresas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.