382 milhões de pessoas no mundo sofrem atualmente de diabetes, e este é um número que tem tendência a crescer de forma exponencial, chegando aos 592 milhões em 2023. Os números são uma parte do problema que levou a GlucoWise a pensar numa solução que permitisse resolver a necessidade de fazer testes frequentes da glicose no sangue dos diabéticos, que para além de intrusivos são caros.

“Queríamos resolver o problema dos testes dos diabetes”, afirmou George Palikaras, CEO do projeto, durante o pitch realizado no evento final da 4ª edição do Building Global Innovators (BGI), o concurso de empreendedorismo que junta o ISCTE – IUL e o MIT, assim como o financiamento da Caixa Capital, no apoio ao desenvolvimento das ideias mais inovadoras.

As ideias da equipa da GlucoWise, que está a tentar registar a patente e à procura de uma solução para reduzir o tamanho do dispositivo que quer colocar no mercado, e o plano de negócios convenceram o júri, que selecionou a iniciativa como Grande vencedora da quarta edição do concurso. Desta forma o projeto garantiu o acesso a um financiamento adicional de 100 mil euros, que se somam ao valor de 200 mil euros já assegurado quando foi escolhida como semi finalista na área de tecnologias da saúde, que pode ainda duplicar mediante o cumprimento de metas definidas.

À fase final chegaram também a Watgrid, na área de smartcities, a Cucco, um projeto de Web e a MeshApp, que pretende colocar no mercado uma aplicação que consolida os contactos e interações do utilizador num único interface, monetizando também o potencial de chegar juntos das empresas e marcas para criar uma relação mais próxima com os clientes. Esta foi aliás a escolha do público presente no Grande Auditório do ISCTE, que votou através de uma app desenvolvida especialmente para o evento.

As quatro apresentações mostraram a energia dos empreendedores, ou Globalentrepreneus como Gonçalo Amorim, diretor do programa, gosta de os designar, pela ambição global das iniciativas. O Building Global Innovators está a evoluir para um modelo cada vez mais global, com participantes de 22 países e este ano 2 dos quatro semifinalistas são empresas internacionais.

Ainda antes das apresentações houve espaço para a partilha de experiências e conhecimento sobre empreendedorismo, com as ideias de Jonathan Fleming, da Oxford Bioscience Partners e Carlos Oliveira, fundador da Mobicom e da Pathena SGPS e ex-secretário de Estado do empreendedorismo e inovação.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Nota da Redação: Foi corrigida uma gralha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.