O Governo português e a empresa alemã Siemens vão assinar esta terça-feira, dia 8 de janeiro, um acordo para estimular a área da engenharia nas escolas nacionais, desde o ensino básico até ao ensino superior. O protocolo estabelecido pretende "corrigir" a falta de engenheiros que existe em Portugal.

A iniciativa "Engenharia made in Portugal" vai arrancar já no decorrer do atual ano letivo e pretende convencer os estudantes portugueses a seguirem agrupamentos de estudo relacionados com a engenharia e a adquirirem formação prática na área. Neste sentido a Siemens vai receber todos os anos alunos que procurem local para realizar estágio.

A multinacional vai ainda disponibilizar de forma gratuita licenças de software a universidades, institutos politécnicos e escolas profissionais, enquanto alguns estabelecimentos de ensino vão ser equipados com hardware de automação. A acompanhar as ofertas, a Siemens também vai dar formação aos professores para que possam tirar o maior proveito dos programas e equipamentos durante o processo de ensino.

A área da engenharia é das que gera mais oferta de trabalho em Portugal e noutros países da Europa. Os cursos deste ramo do ensino também são por tradição os que têm maior taxa de empregabilidade.

O protocolo vai ser assinado pelo ministro da Educação, Nuno Crato, e pelo ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.