Desde março de 2020 que todos os eventos e conferências têm sido cancelados, mudados para um modelo puramente online, ou adiados. O Mobile World Conference 2020 (MWC 2020) foi a primeira grande "queda" e o SAPO TEK testemunhou como todo o espaço à volta da Fira estava deserto na data em que devia estar imerso num mar de gente.

A organização da IFA tomou uma decisão diferente e em maio anunciou que ia avançar com um evento presencial, limitado em termos de participações e num modo híbrido, e hoje a IFA Special Event abriu portas à conferência que se estende entre o dia 3 e 5 de setembro, com um número muito reduzido de jornalistas e expositores, contabilizando 150 marcas a expor os seus produtos.

É uma feira muito diferente da que habitualmente arranca em setembro e que marca o início da época mais relevante de vendas para a eletrónica de consumo. Os acessos e a entrada estão quase desertos, como o SAPO TEK por comprovar, e mesmo a sala de conferência, com o distanciamento sanitário entre as cadeiras, tem muitos lugares vazios.  800 jornalistas de todo o mundo foram convidados, mas muitos acabaram por não aceitar o convite para estarem fisicamente presentes em Berlim.

A Qualcomm, Huawei, TCL e Schneider são algumas das empresas presentes, com novidades a anunciar.

"Muito aconteceu desde a última IFA e parece que foi há muito mais de um ano", afirmou Jens Heithecker, IFA Executive Director, na abertura da IFA Special Edition, lembrando como o nosso mundo foi alterado de várias maneiras. Mas, apesar de ter sido um ano difícil, o executivo afirmou que nos últimos 70 anos nada parou a IFA, que começou em 1924 e se realizou todos os anos 1té 1939, recomeçando em 1950 num evento bi anual. "Mesmo em 1961, quando um muro dividia a Alemanha, não parámos a IFA", explica.

IFA 2020: O que esperar da maior feira de tecnologia da Europa no "novo normal"?
IFA 2020: O que esperar da maior feira de tecnologia da Europa no "novo normal"?
Ver artigo

Em 2020, "estarmos aqui traz-nos a sensação de alguma normalidade", defende o diretor executivo da IFA, que afirma que a IFA "é um símbolo para todos que podemos avançar para além da pandemia, da incerteza económica, há um normal à frente".

Jens Heithecker explica também que seria fácil mudar todo o evento para um modelo online, mas que isso não cumpre todos os objetivos. "Estamos aqui para combater a fatiga do Zoom", sublinha, dizendo que a inovação e as ideias surgem frente a frente. "Nada bate a vida real e é por isso que a indústria e os media precisam da IFA", justifica, sublinhando que "este ano, mais do que nunca, é importante manter a IFA e aproximar as marcas dos consumidores".

O SAPO TEK já antecipou muito do que as marcas vão anunciar nestes dias em Berlim, com a Qualcomm a anunciar o alargamento do 5G aos processadores Snapdragon da série 4, para smartphones mais acessíveis e a plataforma para PC 8cx Gen2 5G para áudio e vídeo.,

O SAPO TEK vai acompanhar ao vivo e online todas as novidades que pode seguir através das notícias que vamos partilhar ao longo dos próximos dias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.