O Luxemburgo, que assume a presidência da União Europeia no primeiro semestre de 2005, pretende colocar no centro da sua agenda política os temas relacionados com a Estratégia de Lisboa e as medidas que promovam condições para atrair os melhores cientistas para o espaço da União.




Estas prioridades são propostas de discussão para o Conselho da Competitividade que se realiza no próximo mês de Abril e para a revisão da Estratégia de Lisboa, agendada para a mesma altura. O governo luxemburguês, que sucede à Holanda na presidência da UE, pretende ver reforçados os mecanismos que contribuam para a fixação dos melhores cientistas no espaço Europeu e aposta na mobilidade dos investigadores e a clarificação dos seus estatutos.




Da carta de prioridades resumida no site do Cordis salientam-se ainda uma aposta reforçada nas nanotecnologias e nas políticas espaciais e de segurança da UE, também consideradas questões prioritárias e fundamentais para o desenvolvimento da economia da UE.




O governo luxemburguês pretende concentrar-se no desenvolvimento de uma Área Europeia de Investigação, que promova investimentos crescentes na investigação e desenvolvimento e contribuam para o debate do 7º Programa Quadro.




Na declaração citada pelo site o Luxemburgo preconiza o reforço dos investimentos na formação de recursos humanos na ciência e nas tecnologias, prioridades que deverão estar também patentes na discussão e preparação do 7º Programa Quadro, considera.




As questões espaciais e a definição de uma política europeia nesta matéria preocupam igualmente a futura presidência da UE que pretende realizar um trabalho intenso nesta área.





Notícias Relacionadas:

2004-07-01 - Tecnologia e investigação no centro da presidência holandesa da EU

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.