O diretor-geral da Microsoft Portugal, João Couto, está empenhado em convencer o centro de decisão internacional a trazer mais investimento para o mercado português. O primeiro objetivo passa por aumentar o centro de apoio técnico para empresas que funciona em território português. O investimento só deve acontecer depois da segunda metade de 2014.

Ao Jornal de Negócios, João Couto revelou que vai fazer chegar a proposta à Microsoft ainda durante os primeiros seis meses do próximo ano.

"No mercado empresarial os requisitos técnicos são mais exigentes e aí conseguimos ter uma vantagem competitiva quer em termos de qualidade, quer ao nível do custo", disse o executivo como forma de mostrar o valor deste centro de atendimento.

João Couto não revelou quais os objetivos "numéricos" do crescimento para o centro de apoio técnico empresarial, que atualmente já emprega cerca de cem pessoas.

O diretor-geral da subsidiária portuguesa da tecnológica norte-americana disse ainda que estão a ser feitos esforços para captar investimento estrangeiro, estando também a trabalhar com instituições públicas para conseguir apoios governamentais. O objetivo é criar novas oportunidades e investimento direto em Portugal.

As declarações do líder da Microsoft Portugal aparecem poucos dias depois da empresa ter-se visto envolvida numa polémica. O centro de atendimento e apoio ao consumidor que funcionava em Portugal foi deslocalizado, o que levou ao fim do contrato de outsourcing que havia com a Sitel - o que por consequência levou ao despedimento de 120 pessoas.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.