A Microsoft continua na senda dos bons resultados. Nos últimos três meses de 2019, a empresa registou um crescimento substancial nas receitas em quase todos os departamentos, sendo que os destaques positivos ficaram a cargo dos serviços em cloud (mais 27% face ao período homólogo de 2018) e do LinkedIn (mais 24%).

O único percalço num relatório de contas aparentemente imaculado é da responsabilidade da Xbox. As receitas geradas pela divisão caíram 11% em comparação com o mesmo período de 2018. E se contarmos com o total gerado com gaming, a queda é ainda maior: 21% (menos 905 milhões de dólares).

Microsoft encosta a "neutralidade carbónica" e aponta agora à "negatividade carbónica"
Microsoft encosta a "neutralidade carbónica" e aponta agora à "negatividade carbónica"
Ver artigo

A imprensa internacional sublinha que as quedas neste departamento se podem dever ao facto de os utilizadores estarem já à espera da nova geração de consolas, pelo que o investimento em jogos e sistemas atuais tende agora a cair até ao lançamento da nova X Series. No entanto, há também que assinalar a dimensão do valor perdido, especialmente na época do Natal. Uma outra justificação prende-se com a falta de exclusivos, problema que a marca está já a tentar resolver para preparar a chegada da nova Xbox.

O relatório da empresa assinala também um crescimento de 19% nas receitas geradas através do Office (16% no segmento empresarial) e de 18% nas geradas pelo Windows.

No total, a empresa registou um aumento de 14%, atingindo 36,9 mil milhões de dólares em receitas. O lucro total chegou aos 11,6 mil milhões de dólares, mais 38% do que no período homólogo do ano anterior.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.