A JP Sá Couto, agora JP Inspire Knowledge, e o seu vice-presidente, João Paulo Sá Couto, viram o Ministério Público recuar nas acusações de fraude fiscal e a pedir a absolvição tanto da empresa como do executivo num mega caso de fraude fiscal.

A magistrada do MP argumentou dizendo que as duas partes não tinham conhecimento e não tiveram participação no caso de fuga ao pagamento do IVA, e que também não obtiveram comissões indevidas, de acordo com as informações da agência Lusa.

O MP reclamava da JP Sá Couto cerca de 72 mil euros que eram relativos a uma alegada fuga ao fisco que terá acontecido entre 2001 e 2002. O julgamento que teve início em setembro do ano passado, teve a leitura das alegações finais durante o dia de hoje, 29 de janeiro.

Em agosto do ano passado a JP Inspire Knowledge reagiu de imediato às notícias de participação na mega fraude fiscal, dizendo que a "administração fiscal sempre entendeu que a J. P. Sá Couto nada devia ao Fisco". "Após a passagem de inúmeras certidões de não dívida, para que dúvidas não restassem, o próprio juiz de julgamento oficiou a administração fiscal para que informasse o tribunal que de facto inexistiam dívidas relativas à atividade da J. P. Sá Couto, SA.", acrescentava o comunicado da empresa na altura.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.