A Mobilidade e o Canal foram as áreas que mais cresceram no ano fiscal terminado a 31 de março último, com subidas de 60% e 47% respetivamente, revelou o diretor-geral da Fujitsu Portugal, Carlos Barros, durante o evento Fujitsu IT Future, que decorreu em Lisboa.

A área de EMC registou um crescimento de 12% e a atividade do Global Delivery Center aumentou 8%.

Carlos Barros adiantou ainda que a subsidiária portuguesa passou a ter a responsabilidade direta dos mercados e Angola e Moçambique, através do seu grupo de parceiros, "num claro voto de confiança do grupo Fujitsu na gestão portuguesa", considera o responsável.

Os objetivos a curto prazo passam pelo desenvolvimento das "áreas internas", nomeadamente fazendo aumentar as exportações dos atuais 20% para 50% e pela criação de mais postos de trabalho. "Hoje somos 650 e queremos ser, pelo menos, 1.000 até ao final do próximo ano, por crescimento orgânico e por incorporação de áreas novas".

Das ambições da empresa fazem também parte a prestação de mais serviços ao grupo nipónico noutras partes do mundo, ou seja, "colocar ainda mais a Fujitsu Portugal no mapa da grande Fujitsu".

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.