Os parceiros atuais da empresa terão a possibilidade de integrar o novo serviço na oferta, mas a empresa admite que pelo perfil e abrangência do produto, avançar com novas parcerias será necessário.

Diego Navarrete, CEO da Panda Security, destaca nessa prioridade os integradores de sistemas e os Management Security players e assegura que as negociações com empresas nesta área já começaram. O foco da fabricante está nos maiores players do mercado de MS, acrescenta.



Os operadores de telecomunicações, pela transformação que têm vindo a fazer no portfólio de serviços disponibilizados aos clientes, cada vez mais de IT e não apenas de comunicações, também interessam à fabricante. A possibilidade de distribuir a solução em mercados de aplicações cloud como a Smart Cloud da PT, oferta entretanto renomeada para Soluções Cloud da PT Empresas, é vista com interesse pelo CEO da Panda.



O lançamento do Panda Advanced Protection Service - que o TeK acompanhou ontem - está a ser feito de forma faseada, uma estratégia que a empresa delineou desta forma por questões de controlo de qualidade e também para dar tempo à força de vendas para dar a conhecer o novo produto, explicou ao TeK Diego Navarrete.



A primeira abordagem ao mercado foi feita a um conjunto de 10 empresas, nove quiseram ficar com o produto ainda a fabricante não tinha definido preços ou detalhes da oferta comercial, garante o responsável, que vê neste indicador um sinal positivo da recetividade do mercado à oferta.



O grupo de empresas a testar o produto está agora a ser alargado a 50 e a internacionalização do PAPS (a clientes mais afastados da zona de influência dos Panda Labs, em Bilbao) dá os primeiros passos.



Espanha, Reino Unido, Estados Unidos e Suécia são os quatro países escolhidos para uma primeira ronda de lançamento, mercados selecionados por razões específicas. A Suécia foi escolhida por ser um mercado muito competitivo e altamente desenvolvido em termos tecnológicos, explica Diego Navarrete.



Os Estados Unidos entram na lista pela dimensão e também pelo facto de serem um mercado muito competitivo. O Reino Unido integra o leque tirando partido do facto de a empresa ter já desenhado todo um modelo de negócio para os EUA, que agora é fácil replicar para mercados de língua inglesa. Como o TeK já tinha referido ontem, Portugal está no segundo grupo de países a receber a solução (o mesmo grupo onde se insere a Alemanha).



"Portugal é um mercado muito importante para a Panda. É um mercado chave. Temos dois portugueses no board da companhia que influenciam o focus e os planos para o mercado português", assegura Diego Navarrete.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.