A Oracle revelou ontem os resultados financeiros relativos ao seu primeiro trimestre fiscal do ano de 2003, que apontam para que o montante total obtido com a venda de software se situou na margem inferior de projecções anteriores da companhia.



Segundo a empresa, esta situação deveu-se ao facto de ter obtido vendas inferiores ao esperado na Europa e na Ásia. Em simultâneo, a Oracle também sofreu uma descida nas margens operacionais - o rácio dos lucros de uma companhia com o custo de produção e promoção dos seus bens.



Mesmo assim, a empresa de Larry Ellison veio de encontro às previsões dos analistas de que iria obter lucros de sete cêntimos de dólar por cada acção no trimestre. Famosa por produzir software de bases de dados e outros programas que as companhias utilizam para organizar e automatizar os seus negócios, a Oracle afirmou que apesar de ter previsto que as vendas iriam melhorar gradualmente no segundo e terceiro trimestre, o crescimento seria afinal mais lento do que o previsto anteriormente.



A Oracle reportou que a sua receita durante o primeiro trimestre foi de 2,03 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros), uma descida superior a 10 por cento em comparação com os 2.27 mil milhões de dólares (2,34 mil milhões de euros) obtidos no mesmo período do ano anterior. Excluindo uma despesa associada com o investimento da companhia na Liberate Technologies, os lucros foram de 386 milhões de dólares (398,55 milhões de euros).



A companhia também sofreu uma queda em relação a novas licenças de software, um indicador fundamental para avaliar o estado financeiro da Oracle. As vendas de novas licenças de software durante o período em questão foram de 549 milhões de dólares 8566,85 milhões de euros), um declínio de 23 por cento em relação ao mesmo trimestre do ano passado e de 52 por cento em comparação com os últimos três meses do trimestre fiscal de 2002.



As margens operacionais da companhia situaram-se nos 28,6 por cento, comparado com os 33,1 por cento obtidos no primeiro trimestre do ano passado. A Oracle tem continuado a tentar reduzir custos, em parte através do corte de postos de trabalho. De acordo com os seus responsáveis, a empresa perdeu cerca de 600 empregados durante o primeiro trimestre, Os executivos da companhia afirmam que o número actual de 41.500 empregados poderá ser reduzido em mais 500 ou 600 no próximo trimestre, parcialmente através de despedimentos e na sua grande maioria na Europa.



Quanto ao segundo trimestre do ano fiscal de 2003, a companhia prevê que irá obter lucros de oito a nove cêntimos de dólar por acção, estimando ainda que as receitas relativas a esse período diminuem entre seis a sete por cento em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.


Notícias Relacionadas:

2002-03-15 - Vendas de software Oracle baixam pela quarto trimestre consecutivo

2001-06-19 - Oracle com lucros acima do esperado

2001-03-21 - Oracle despede 866 trabalhadores

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.