Um estudo conduzido pela Quorcirca a pedido da Computer Associates (CA) indica que as PMEs continuam a proteger-se de maneira pouco eficiente perante as ameaças de segurança. A existência de recursos limitados, a elevada complexidade dos ambientes e os investimentos inadequados e processos ineficazes colocam os negócios das pequenas e médias empresas em risco.

De acordo com a análise realizada, uma percentagem significativa das pequenas e médias empresas não dispõem de pessoal especializado em Tecnologias para gerir os seus sistemas. O estudo indica que metade das pequenas empresas e pelo menos 25 por cento das empresas de maior dimensão entregam estas tarefas a funcionários não especializados, sendo que na Europa o número de funcionários ligados às TIC era inferior ao utilizado Estados Unidos.

Face a um ambiente que a Computer Associates conclui ser "surpreendentemente complexo", com heterogeneidade de sistemas e coexistência de diferentes versões do mesmo sistema operativo, a gestão da segurança torna-se mais difícil. A somar-se a este facto está ainda a lentidão das ligações à Internet e a falta de soluções de antivírus e anti-spyware.



Mais de 25 por cento das empresas inquiridas confessou não verificar a segurança da sua ligação Internet há mais de um ano, enquanto 20 por cento não dispõe de antivírus e mais de 50 por cento não tem qualquer solução de protecção contra spyware.



A Computer Associates conclui ainda que as tarefas de segurança e protecção de dados estão pouco automatizadas nas PMEs. Só um quarto das empresas que participaram no estudo dispõe de um software automático para gerir os backups. Dos que procedem a um backup aos servidores, mais de 30 por cento não examinam a capacidade de recuperação de arquivos há mais de um ano.

Mesmo assim, muitas PMEs recorrem às actualizações automáticas da Microsoft, mas menos de 30 por cento usa software de gestão de patchs automático. Nos ambientes de maior dimensão, apenas 40 por cento das empresas utiliza software de gestão de actualizações automáticas.

Em comunicado, Eduardo Penedos, Channel Manager da CA Portugal, afirma que "os estudos da Quocirca demonstram que as PME's necessitam de automatizar a sua segurança, os backups e os processos de upgrade dos PC".

A análise da Quocirca abrangeu 240 gestores de empresas nos EUA e 200 gestores de empresas em quatro países europeus, sendo consideradas companhias com mais de 300 funcionários.

Notícias Relacionadas:

2005-06-23 - PMEs portuguesas mantêm preocupação na inovação tecnológica

2005-05-06 - APS quer optimizar investimentos em TIs no sector segurador

2005-04-07 - Empresas encaram TI como ferramenta competitiva para os próximos cinco anos

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.