A Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP) revelou os dados de vendas de veículos 100% elétricos para o primeiro semestre do ano, salientando o crescimento acentuado no sector. Até ao final de junho foram vendidos 1868 automóveis, um aumento de 156,2% face ao mesmo período do ano passado, valor que ultrapassa mesmo os números dos 12 meses de 2017.

Este crescimento reflete a atitude dos portugueses face aos benefícios fiscais na adoção de veículos não poluentes, salientando uma maior consciência ambiental, para além de não pagarem estacionamento nos parques da EMEL. Os carros elétricos representam 1,2% das vendas de ligeiros neste primeiro semestre.

Entre as fabricantes que mais viaturas vendem sobressaem-se a Renault que vendeu 631 unidades, representando um aumento de 80,3% relativos ao mesmo período do ano passado; e a Nissan que contribuiu com 608 veículos a circular sem emissões, que triplicou as suas vendas. A Smart vendeu 211 automóveis, repartidos entre o Fortwo e Forfour, seguindo-se a Citröen com 156 e a BMW com 152 unidades.

No entanto, ainda existe um impasse face aos postos de carregamento rápido e nos prejuízos gerados pelo atraso no arranque da cobrança da eletricidade, ultrapassando já os 29 mil euros mensais ao Estado, segundo refere o Dinheiro Vivo. Quando esse obstáculo for ultrapassado, espera-se que o mercado do segmento cresça e se torne mais relevante.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.