Os dados do quarto trimestre acabam de ser partilhados pela Altice Portugal, com receitas de 558,3 milhões de euros no último trimestre, e um crescimento de 2,7%  face ao período anterior, somando 2.121,2 milhões para o total do ano. O EBITDA atingiu os 833,6 milhões de euros e o investimento chegou aos 465,7 milhões de euros, mais 6,9% do que em 2019.

"Apesar deste contexto desafiante, 2020 representa para a Altice Portugal um ano de grandes
conquistas. Um ano que assinala a solidificação da estratégia de Investimento, Inovação,
Qualidade de Serviço com foco no Cliente e Diversificação de Portefólio", sublinha Alexandre Fonseca, presidente executivo da empresa.

Em comunicado a Altice Portugal destaca também o aumento do investimento, que apresenta uma evolução constante durante todos os trimestres do ano, subindo 6,9% no total de 2020 e chegando aos 465,7 milhões de euro. Só no último trimestre o crescimento do investimento foi de 127,3 milhões.

"O contexto adverso não abrandou o nosso nível de Investimento ao longo do ano – 465,7 milhões
de euros –, nomeadamente na segurança, reforço e expansão das redes, no apoio a entidades
envolvidas no combate à COVID-19, em áreas como a Saúde, a Educação, a proteção social e
combate ao isolamento dos mais idosos, a Proteção Civil e as Forças de Segurança Públicas", afirma Alexandre Fonseca.

A aposta na expansão da rede de fibra ótica foi um dos investimentos centrais e no final do ano a Altice Portugal já chegava a 5,6 milhões de casas, depois de ter atingido em julho a meta que tinha definido para o ano de 2020, com 5,3 milhões de lares com fibra. Desta forma a empresa garante que reforçou a sua posição como detentora da maior rede de fibra do país, cobrindo 85% das casas.

Mais clientes e liderança nos vários segmentos

Em 2020 a Altice Portugal registou crescimentos na base de clientes de serviços fixos e móveis, quer no segmento de consumo quer nos serviços empresariais. "Para este desempenho contribuiu também o foco na Qualidade de Serviço ao Cliente, a resiliência e segurança das Redes e o alargamento do portfolio de Serviços, que resultaram na liderança absoluta das Comunicações em Portugal, em todos os segmentos e produtos", adianta a empresa em comunicado.

De acordo com os dados, são mais 39,1 mil subscrições nos serviços fixos no 4º trimestre de 2020 e mais 169,8 mil no total do ano. A empresa refere que os clientes únicos no mercado de consumo cresceram 6,8 mil neste trimestre, e que o negócio móvel conseguiu mais 71,2 mil assinaturas no último trimestre e soma mais 196,5 mil pós pagos nos últimos 12 meses.

As receitas no segmento de consumo voltaram a crescer e no quarto trimestre ficaram-se em 312 milhões de euros, encerrando o ano de 2020 com uma variação de +0,4% face a 2019. "O Segmento Consumo termina assim o ano de 2020 de volta à trajetória de crescimento sustentado, após a
recuperação iniciada em 2018. A expansão continuada da sua Base de Clientes, aliada ao controlo dos
Desligamentos, potenciada pela cobertura em fibra e pela oferta de serviços convergentes, foram fatores determinantes para este desempenho", indica em comunicado.

No segmento empresaria, que combina o B2B, negócio retalhista e as restantes unidades de negócio da Altice Portugal as receitas atingiram os 246,3 milhões de euros, o que resultou num crescimento homólogo de 5,3%. A Altice Portugal destaca a "natureza crítica dos serviços da Altice Empresas" e a fiabilidade das redes, a segurança das plataformas e a qualidade de serviço que foram fundamentais para manter um desempenho consistente.

"A Altice Empresas assumiu-se como líder no apoio ao tecido empresarial nacional no seu processo de transformação digital, pela diversidade do seu portefólio de serviços, pelo seu ecossistema de parceiros, pela inovação e conhecimento sectorial e ainda pela capacidade financeira de investir nos seus clientes, em relações duradouras e sustentáveis, em todas as regiões do país", refere em comunicado.

Apesar dos bons resultados, Alexandre Fonseca deixa, na mensagem que acompanha os dados, alguns avisos à navegação. "O rigor financeiro, a capacidade de adaptação, a agilidade e resiliência permitiram manter o ritmo de crescimento ao longo de 2020. No entanto, para dar continuidade ao nosso compromisso com o país de ser o motor de bem-estar da sociedade, da transformação digital e do desenvolvimento da economia através da inovação, do investimento e do desenvolvimento tecnológico sustentável, precisamos de ir ainda mais longe", refere.

O presidente executivo da Altice Portugal sublinha que se agudiza o contexto hostil, referindo o ambiente regulatório que tem vindo a criticar, e adianta que "a destruição de valor que a atual postura
regulatória está a gerar é de tremenda gravidade, pondo em causa não apenas a sustentabilidade do setor das comunicações e o investimento desta indústria no país, mas também colocando sérios riscos na capacidade de inovação, no emprego e no posicionamento de Portugal na Europa, numa área tão relevante para o futuro e competitividade da nossa Economia".

Para Alexandre Fonseca, "estão igualmente em causa a manutenção dos nossos compromissos
com o país na inovação e investimento, os fundamentais investimentos no 5G, a melhoria da
qualidade e alcance das nossas redes, ou ainda o âmbito dos serviços disponibilizados às
famílias e empresas nacionais".

Recorde-se que nos últimos meses as decisões relacionadas com o regulamento do leilão do 5G e os preços das telecomunicações têm gerado divergências entre os operadores e a Anacom.

Nota da Redação: a notícia foi atualizada com mais informação. Última atualização 8h11

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.