Foram ontem apresentados, depois do fecho do mercado de bolsa, os resultados trimestrais do Grupo ParaRede. Entre os pontos a reter destaca-se uma melhoria nos resultados líquidos, que cresceram 71 por cento em relação ao período homólogo, enquanto o EBITDA consolidado registou uma crescimento de 10,6% no terceiro trimestre, o que segundo a empresa comprova "o compromisso de equilíbrio operacional do Grupo".




Apesar desta evolução positiva, os resultados líquidos do grupo mantiveram-se no vermelho, com 23 milhões de euros negativos, enquanto o EBITA regista 6,98 milhões de euros negativos.




A ParaRede efectuou ainda reduções de custos fixos (que descem 7,1 por cento), na sequência das medidas alinhadas no Plano de Reestruturação. Em relação ao período homólogo de 2001 os custos fixos são agora de menos 34%, resultado da redução de 39 por cento dos custos com pessoal.




De acordo com o comunicado pela empresa, "o terceiro trimestre de 2002 foi caracterizado, fundamentalmente, pela consolidação das áreas core da empresa e pelo início do novo ciclo empresarial, que terá como objectivo fundamental o crescimento progressivo e rentável, visando o equilíbrio operacional do Grupo".




Notícias Relacionadas:

2002-10-22 - ParaRede e IPM lançam MatrizWeb para divulgação de colecções na Web

2002-10-03 - Multicert adquire totalidade do capital da Certipor


2002-04-19 - Prejuízos de 113,950 milhões de euros levam Pararede a propor redução de capital social

2001-10-30 - Pararede prossegue na alienação de negócios B2C

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.