(Actualizada) O presidente da Portugal Telecom afirmou hoje que a empresa não aceita ser excluída da possibilidade de participar no concurso de Televisão Digital Terrestre, cuja abertura deverá estar próxima como antecipou o secretário de Estado das Comunicações, Paulo Campos, no primeiro dia do Congresso da APDC.

A questão sobre o interesse da PT neste concurso foi colocada por Pedro Leitão, da Media Capital, já no período de perguntas e respostas da sessão do Estado da Nação, tendo Henrique Granadeiro explicado que "seria um absurdo" excluir a PT do concurso.

"Não aceitamos ser excluídos à partida como foi já avançado numa das sessões do congresso", afimou o presidente da PT, dizendo que tinha sido sugerida até a possibilidade de se criar uma claúsula de exclusão especial.

"Seria um absurdo excluir a PT sobretudo depois de nos termos comprometido a vender a PTM", sublinhou Henrique Granadeiro. "Estamos convencidos que temos meios, competências e capacidade para dotar Portugal de uma nova infra-estrutura de Televisão Digital Terrestre", acrescentou.

Porém, o presidente da PT disse também que quando conhecer o contexto em que o concurso será lançado a empresa se irá pronunciar com mais profundidade sobre o tema.

Sonaecom interessada mas condicionada por cenário da OPA

Paulo Azevedo afirmou também o interesse da Sonaecom pela licença de Televisão Digital Terrestre, mas afirmando-se condicionado pelos cenários da OPA se concretizar ou não e da empresa ter já vendido a PTM. "O nosso objectivo é sermos aliados de uma das detentoras de infra-estrutura de broadcast", confirmou.

O presidente da Sonaecom considera porém justa a exclusão da sua eventual candidatura no caso de não ter ainda vendido a PTM, um dos remédios impostos pela Autoridade da Concorrência para que a empresa possa avançar com a OPA.

"Se tudo estiver claro vamos ser concorrentes e em conjunto com a Media Capital temos a capacidade de ser um dos principais candidatos", concluiu Paulo Azevedo.

Vodafone quer analisar TV Digital Móvel e Terrestre
António Carrapatoso admitiu também que está interessado na DVB-H para o móvel mas também na componente terrestre da Televisão Digital. "Não excluimos a hipótese de analisar as duas áreas", afirmou o presidente da Vodafone.

O interesse da operadora enquadra-se na sua estratégia de bundling de produtos, que a Vodafone acredita que poderá contribuir para aumentar a receita de serviços junto da base de clientes.

Nota de Redacção: [18:33] A notícia foi actualizada com mais informação das posições da Sonaecom e da Vodafone sobre a matéria.

Notícias Relacionadas:
2006-11-16 - 16º Congresso APDC – Consumidor assume maior poder com apoio das tecnologias
2006-11-16 - 16º Congresso APDC – Programas de apoio à modernização da Economia recebem 34 mil candidaturas nos últimos sete anos
2006-11-15 - 16º Congresso APDC – Pesquisa continua em crescimento com forte potencial de monetização

2006-11-15 - 16º Congresso APDC - Neutralidade da Web é uma questão que pouco afecta a Europa

2006-11-15 - 16º Congresso APDC - Ericsson demonstra 3G a 7,2 Mb e aponta lançamento comercial para Janeiro 2007

2006-11-14 - 16º Congresso APDC - Presidente da AdC promete novo projecto de decisão da OPA para breve

2006-11-14 - 16º Congresso APDC - Novo concurso de TDT avança no primeiro trimestre de 2007

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.